Agronegócio

27/04/2017 14:11

Governo Federal reconhece situação de emergência em Chapada dos Guimarães

O Ministério da Integração Nacional reconheceu, nesta terça-feira (25), a situação de emergência de Chapada dos Guimarães. O município obteve o reconhecimento federal em decorrência das fortes chuvas que afetaram várias comunidades rurais. Mais de 570 famílias foram afetadas com as chuvas intensas, comprometendo o escoamento da produção local, o transporte escolar e provocando o isolamento das famílias, que ficaram sem atendimento médico e hospitalar. Chapada tem uma malha viária de 2 mil km, sendo apenas 311 km do estado.

O município deverá receber cerca de R$ 6,5 milhões e elaborar um plano de recuperação especificamente para construção das pontes avariadas, bueiros e estradas, nos pontos onde a chuva comprometeu o tráfego. Os recursos, que não tem data prevista para serem liberados, são direcionados especificamente para atender as demandas relacionadas a situação de emergência, não poderão ser investidos em outras necessidades do município.

Segundo a prefeita Thelma de Oliveira, foi necessário buscar ajuda por que a prefeitura, que está inadimplente, sem condições de comprar ou captar recursos e com uma dívida que ultrapassa os 14 milhões, não tem condições de atender todas as demandas. Mesmo assim, foi feito um grande esforço para consertar os pontos mais difíceis e evitar pelo menos o isolamento das comunidades rurais.

Conforme o secretário Municipal de Obras, Osmar Froner de Mello, a secretaria junto com a Defesa Civil do Município está trabalhando no levantamento das ações paliativas e urgentes nas comunidades mais afetadas. “Já para as obras definitivas o orçamento que fizemos foi de R$ 6,5 milhões para oito pontes de concreto, bueiros e estradas”, disse.

Osmar afirmou que a estrada da comunidade Bom Jardim que era a mais crítica foi toda reparada e que a secretaria está com três frentes de trabalho nas comunidades rurais de Bom Jardim, Pingador, Pedra Preta, Mata do Cipó e Jangada Roncador. Quanto aos bueiros danificados na zona urbana, o secretário afirmou que já foi feito o levantamento dos valores e vão entrar com o processo de licitação.

   Conforme o coordenador do Departamento de Defesa Civil de Chapada, Robson Luiz Barbosa o município entrou com o pedido de calamidade pública no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres no dia 26 de março, devido as fortes chuvas na região, que causaram danos em pelo menos oito pontes, bueiros e estradas rurais.

Robson destaca os bairros urbanos Aldeia Velha e o Bom Clima como os mais afetados. Já na zona rural, as comunidades mais afetadas são; P.A. Jangada Roncador, PA Concisão, comunidade Tradicional Tucum, P.A. Concordia, Pedra Grande, Rio Manso, Quilombola de Lagoinha de cima, Distrito do Rio da Casca, Mata Grande e Ponte Alta.

O coordenador da Defesa Civil elencou as oitos pontes danificadas; ponte do Rio da Casca de 25m, Rio da Casca com acesso a comunidade de Mata Grande de 30m, Rio Pedra Grande de 20m, Lagoinha 25m, Rio Manso de 112m, Lagoinha 16m e o Roncadorzinho com 10m.

De acordo com o Major Washington César Duarte, coordenador de Resposta e Reconstrução da Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil do Estado, já são 25 cidades de Mato Grosso em estado de emergência. “Temos 20 cidades que o governo federal já reconheceu a emergência e cinco municípios em processo de reconhecimento”, afirmou.

O major ressaltou que dos cinco processos de estado de emergência de 2016, o empenho já foi liberado e os municípios estão em fase de licitação para as obras.

Ele adiantou que a prefeitura de Chapada entrará com um pedido para obras de restabelecimento, com recurso da Defesa Civil Nacional do Ministério da Integração. “Um recurso que é liberado em um mês, destinado às obras paliativas até que o recurso maior chegue para o município”, explicou.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo