Agronegócio

Governo  Taques garante resposta rápida a organizações criminosas e deixa claro que não negocia com bandidos

Da Redação

“Não negociamos com criminosos”. A frase do governador Pedro Taques (PSDB) deixa claro que o Estado está envidando todos os esforços no combate aos integrantes de facções criminosas que estão tentando se instalar em Mato Grosso, mas que vem tendo resposta rápida por parte dos setores de segurança pública, e que a missão do governo de proteger o cidadão está sendo cumprida acima de tudo.

Nos últimos meses tem se tornado comum vídeos de supostos integrantes de facções criminosas, principalmente do Comando Vermelho, dando o que vem sendo chamado de “salve”, ou seja, tortura e até mesmo assassinato de pessoas que teriam contrariado ordens dos líderes das facções. O último ato de ousadia foi a explosão do muro da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), fazendo parecer que estão tomando o poder, atitude que teve resposta firme por parte do titular da Sesp, secretário Gustavo Garcia, que afirmou que as forças de segurança são o poder do estado na guerra contra a criminalidade, e que o ataque realizado na sede da Sesp não vai intimidar o trabalho das polícias no combate as facções criminosas.

“De toda forma, o meu pensamento (após o ataque) não muda, nós somos o poder de estado, nós estamos no comando e vamos continuar prendendo como prendemos hoje, todas as investigações já estão sendo realizadas pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e pela atuação permanente da Polícia Militar, nós temos prendido diversas pessoas e vamos continuar prendendo, e não nos sentimos desestimulados, estamos com a moral elevada e alta e estamos imbuídos no intuito de garantir a segurança de todos”, disse o secretário.

O mesmo pensamento foi demonstrado por Taques, que apontou a ação dos criminosos como uma reação às ações desenvolvidas pela Segurança Pública. “Acho que é uma reação ao que estamos fazendo. Nós já tomamos todas as providências”, frisou o governador.

De acordo com o chefe do Executivo Estadual, as secretárias de Segurança Pública (Sesp) e Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) estão fazendo um "belíssimo trabalho" para combater as organizações criminosas. "As secretarias de Segurança e de Justiça e Direitos Humanos estão fazendo um trabalho belíssimo para que as facções não se adonem (apropriar-se) do Estado de Mato Grosso. Na nossa administração, estamos trabalhando muito, não vamos dar flores para criminosas de facções criminosas".

E demonstrando um trabalho ágil, que vem se tornando marca registrada das Polícias Civil e Militar de Mato Grosso, o mandante do atentado à sede da Secretaria de Segurança foi identificado um dia após o ato. De acordo com a Polícia Civil, denúncias apontam o mandante do ataque como sendo o detento Lindomar Rodrigues Madureira. Ele está preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá.

Segundo o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Lindomar está preso há pouco mais de sete anos e ainda deve ficar preso mais 42 anos, nove meses e 13 dias pelas seis condenações. Na última quinta-feira, durante buscas na cela ocupada por ele foram apreendidos vários telefones celulares e porções de droga. Os aparelhos passarão por perícia para confirmar se há participação dele e eventualmente identificar os autores do crime.

OPERAÇÕES CONTRA FACÇÕES CRIMINOSAS

Demonstrando na prática que o combate às organizações criminosas é uma prioridade, diversas operações estão sendo realizadas no Estado, como a Operação 10º Mandamento que cumpriu 51 mandados, sendo 38 de prisão e 13 de busca e apreensão.

Os mandados de prisão foram expedidos pela 7ª Vara de Combate ao Crime Organizado contra 24 integrantes que já estavam presos e 14 soltos. Em Mato Grosso, as ordens de prisão foram cumpridas em Barra do Garças (11 pessoas já presas e 09 soltas), Rondonópolis (01 reeducando), Água Boa (07 reeducando e 03 soltos) e Cuiabá (08 lideranças- sete custodiados e um solto).

Outra operação para identificar integrantes de facções criminosas, que agem dentro e fora dos presídios foi a "Panóptico Integrada", onde as polícias cumpriram 10 mandados de busca e apreensão nos bairros Jardim Vitória, Florianópolis, Doutor Fábio, Jardim Brasil e Novo Paraíso, em Cuiabá.

Durante o cumprimento dos mandados, quatro pessoas foram presas por tráfico de drogas e encaminhadas à Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO). Três delas usavam tornozeleira eletrônica, de acordo com a Polícia Civil.

As ações também estão atingindo diretamente os responsáveis pelos chamados “salves”. Ao menos 20 pessoas ligadas às facções criminosas que se instalaram em Mato Grosso e estão envolvidas em pichações e em gravações de vídeos de espancamentos foram presas pela Polícia Militar no 1º trimestre deste ano.

"Nosso trabalho continua forte contra as facções. Nosso setor de inteligência é incansável e ágil. E o nosso principal apoio é o trabalho da Polícia Civil que realiza o flagrante também, prende e entrega os criminosos para a Justiça. Diante das ações realizadas também percebemos que a circulação de vídeos acabou, mas ainda não podemos dizer que é o fim porque essas gravações podem aparecer novamente a qualquer momento. Porém, podemos adiantar que estamos preparados para combater a prática do crime", frisou o subchefe de Estado Maior da Polícia Militar, coronel Henrique Santos, em recente entrevista à imprensa.

“Independente de existir facção ou não, nós vamos continuar empregando todo o nosso efetivo que é muito capacitado e treinado para enfrentar qualquer facção criminosa no estado de Mato Grosso”, completou o secretário Gustavo Garcia, ao reafirmar o trabalho sério das forças policiais às organizações criminosas no Estado.

 

 


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo