icon facebook icon twitter icon instagram

20 de Março de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

Quinta-feira, 14 de Março de 2019, 14h:53 - A | A

Vereador empurra colega em debate acalorado sobre taxação do Uber em Cuiabá

image

Os vereadores Abílio Junior (PSC) e Renivaldo Nascimento (PSDB) se envolveram em uma confusãio durante sessão realizada nesta quinta-feira (14), que trata sobre a taxação de aplicativos de transporte, em Cuiabá. A temperatura subiu após uma fala do parlamentar de oposição, que se mostrou favorável ao Uber. O tucano, após ter a passagem barrada por Abílio, empurra o colega e chega a fazer menção de desferir um golpe.
 
O presidente do Movimento Brasil Livre de Mato Grosso (MBL), Rafael Milas, disse que a confusão se instalou após uma fala do vereador Abílio no plenário. “Eu aplaudi a fala do Abílio, foi muito boa, no aplauso da fala ele [Renivaldo] veio para cima de mim e dizendo que eu não podia estar ali e isso mostra claramente de que lado ele está e a que interesse ele está defendendo, que é dos táxis, por motivos escusos, que nós não sabemos ainda”.


 
Rafael pontua ainda que a exaltação exagerada de Renivaldo “mostra o desespero de ver que um projeto absurdo desse de taxação, mas eu não me importo, faz parte do jogo a intolerância é normal e vamos para cima”.

O vereador Renivaldo Nascimento também deu a sua versão sobre a confusão. "Não posso aceitar pacificamente que pessoas externas venham tumultuar aqui. Esta oposição raivosa ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) tumultua a sessão. É preciso respeito, isto aqui é um parlamento. O direito de colocar sua opinião tem que ser respeitado".

"Não parti para cima dele, não teve via de fatos, só discussões. Não vi nenhum excesso. Um cidadão estranho ao local onde deveria estar, pedimos para que fosse retirado", completou Renivaldo.
 
Após isto, o vereador Abílio subiu ao local onde estavam diversas pessoas protestando. Outra confusão foi instalada e o presidente da Casa, Misael Galvão, chegou a pedir a presença da Polícia Militar para acalmar os ânimos.
 
O projeto que está sendo discutido pretende instaurar uma taxa de licença de funcionamento das operadoras similares a Uber. O valor seria de R$ 0,05 por quilômetro rodado. Além disto, também está sendo pedida a taxa de R$ 155 por uma vistoria nestes veículos que desempenham este tipo de trabalho.

Veja o início da confusão:



Atualizada às 12h07.

Imprimir
Comentários












Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




image