Brasil

28/09/2018 18:01

Mãe abandona hospital para sepultar a filha de 3 anos que morreu em incêndio

Ao saber que a filha de 3 anos morreu em incêndio na manhã desta quinta-feira (28), Patrícia Ximenez de Araújo, mãe da menina, abandonou o leito da Santa Casa de Campo Grande onde estava internada, mesmo antes de receber alta médica.

De acordo com informações da assessoria de comunicação do hospital, Patrícia teria entrado em desespero ao saber que a filha, Nicolly Ximenes Medeiro, não havia resistido aos ferimentos. Ela teria pedido permissão para participar do velório da menina, mas foi informada pela equipe médica sobre a necessidade de que permanecesse na unidade em observação, já que havia inalado muita fumaça.

Inconformada, a mãe decidiu sair do hospital mesmo sem aprovação dos médicos e do setor psicológico. A amiga de Patrícia, que estava na residência no momento do incêndio, também foi embora da Santa Casa antes de receber alta. Apenas a adolescente de 12 anos segue na unidade.

As duas, no entanto, devem voltar para o hospital após o sepultamento.

A mãe da criança morta na tragédia teve queimaduras em 15% do corpo. As lesões mais graves são queimaduras de 2° grau nas vias aéreas devido a inalação de fumaça. Ela também sofreu queimaduras no rosto, mãos e pés.

A segunda paciente, que também foi embora da unidade teve queimaduras no rosto, pescoço e vias aéreas. A menina de 12 anos teve queimaduras de 1º grau e está em observação.

O caso

O Corpo de Bombeiros foi chamado por vota das 7h30 da manhã desta quinta (27) e enviou três viaturas para o local. No momento que o fogo começou, duas mulheres e suas filhas estavam na casa, uma menina tinha 12 e outra, 3 anos.

Durante 30 minutos os bombeiros tentaram reanimar a criança, mas não conseguiram salvar sua vida. A criança mais velha, que conseguiu sair antes da casa, inalou fumaça, mas passa bem.

Uma amiga da família que estava na casa também ficou ferida. Ela e a filha de três anos estavam no local para cuidar da dona da casa, que tinha passado recentemente por uma cirurgia. Todas as vítimas foram levadas para hospital. A mãe da menina sofreu queimaduras nos braços e pernas.

A menina que morreu teria ficado por último para ser socorrida, já que não sabiam que ela estava no outro quarto da residência. A vítima inalou muita fumaça e morreu por asfixia.

Uma vizinha contou que quando se arrumava para sair ouviu estouros e uma mulher gritando por socorro. O portão estava trancado com cadeado. O marido da vizinha pulou o muro e, com um martelo, quebrou o cadeado. Ainda não se sabe o que teria causado o incêndio na residência.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo