Cidades

14/11/2017 17:05 Diário Da Serra

Greve de fome dos presos perde força em MT

A greve de fome deflagrada por presidiários em Mato Grosso exigindo “melhorias” nas unidades prisionais perdeu força durante os 8 primeiros dias. Das 15 unidades que aderiram ao movimento, 5 já recuaram e somente em 10 delas os detentos seguem recusando os alimentos fornecidos pelo Estado. Nesses locais, eles suspenderam as saída para atividades externas até que tenham suas reivindicações atendidas pelo governo do Estado.


A Penitenciária Central do Estado (PCE), a maior unidade prisional de Mato Grosso, continua “firme” no protesto. 


Do lado de fora familiares de presos têm realizado alguns protestos. Na última quarta-feira, 8, mulheres de presidiários interditaram a BR-163, no Km-189, em Sinop ateando fogo em pneus.


Já em Rondonópolis, familiares de detentos fizeram uma manifestação, na quinta-feira, 9, em frente ao Fórum da cidade. No dia seguinte, houve uma fuga em massa de 26 detentos. Até o momento 10 foram recapturados.


Os detentos reivindicam melhorias na saúde, na estrutura do sistema e novas oportunidades de trabalho, além disso, eles também denunciam a superlotação e questionam as transferências irregulares.


Todas as unidade masculinas se encontram acima da capacidade, tendo no total 10.668 homens presos em Mato Grosso, enquanto o quantitativo de mulheres são de 578.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo