Cidades

16/04/2018 13:54 OLHAR DIRETO

Delegado investiga se médica assumiu culpa pelo marido em atropelamento que matou verdureiro

O delegado Christian Cabral, titular da Delegacia Especializada em Delitos de Trânsito (Deletran), investiga se a médica Letícia Bortolini, 35 anos, era mesmo quem estava dirigindo o Jeep Compass, que atropelou e matou o verdureiro Francisco Lucio Maia, 48 anos, na noite do último sábado (14), na avenida Miguel Sutil, em frente ao banco Itaú, em Cuiabá. Na delegacia, ela afirmou que estava ao volante, mas se recusou a realizar o teste do bafômetro.

“A vítima estava atravessando fora da faixa de pedestre quando foi atingida pelo Jeep. No carro, estavam Letícia Bortolini e Aritony de Alencar Menezes, os dois são médicos e acabaram fugindo do local sem prestar socorro. A mulher confessou que era ela quem estava dirigindo e foi flagranteada por homicídio culposo, dirigir sob efeito de álcool e omissão de socorro”, explicou o delegado.
 
Christian também informou que a partir desta segunda-feira (16), a Deletran prossegue com as investigações. Além disto, irá investigar se era mesmo a dermatologista quem conduzia o Jeep. “Precisamos esclarecer se, de fato, era ela quem dirigia o automóvel no momento do acidente, haja vista que dúvidas foram levantadas a respeito destes fatos”.
 
Segundo as informações da Polícia Judiciária Civil (PJC), após atropelar o homem, a médica fugiu em Jeep Compass, junto com o marido. Porém, uma testemunha conseguiu segui-la até o condomínio onde ela mora, que fica localizado no bairro Jardim Itália. O local é considerado de alto padrão.
 
Conforme a Polícia Militar, a médica apresentou sinais de embriaguez, com olhos vermelhos, odor etílico e rubor na face, assim como o seu marido, que estava com ela dentro do veículo. Letícia recusou-se a realizar o teste do etilômetro.
 
A juíza Renata do Carmo Parreira, da 11ª Vara da Justiça Militar e Custódia, converteu a prisão em flagrante da médica, Letícia Bortolini, responsável por atropelar e matar Francisco Lucio Maia na noite do último sábado, em prisão preventiva. Em seu despacho, a magistrada disse que decretou a prisão da suspeita por considerar sua “personalidade criminosa”.
 
“Superada a demonstração da materialidade e presentes os indícios de autoria, chega-se à inferência de que a ordem pública será abalada se a autuada for posta em liberdade, ante o modus operandi empregado na prática delitiva, onde demonstra, per si, a personalidade criminosa da ré”, escreveu a juíza, em sua decisão.
 
O caso
 
Um homem de 48 anos identificado como Francisco Lucio Maia, 48, morreu na noite deste sábado (14), após ser atropelado pela médica Letícia Bortolini, 35, na Avenida Miguel Sutil, região do bairro Cidade Verde, em Cuiabá. Letícia estava em um Jeep Compass, com o marido, e ambos fugiram sem prestar socorro à vítima. Na mesma noite, ela acabou sendo presa e encaminhada ao Cisc Planalto.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo