Cidades

16/05/2018 09:07

Exposição de políticos ligados a Igreja causam  revolta a fiéis

 

Da Redação

Após as denúncias envolvendo o vereador Abílio Júnior (PSC), os fiéis da Assembleia de Deus têm mais um motivo para se envergonhar. O deputado federal Victório Galli (PSL) também foi alvo de denúncia do programa Programa do Pop na TV Cidade Verde, por empregar funcionária fantasma. E mais, na reportagem, Galli é indagado sobre contratações envolvendo netos do presidente das Assembleias de Deus em Mato Grosso, pastor Sebastião Rodrigues.

Mais uma vez o nome da igreja é envolta em denúncias de irregularidades praticadas pelos seus representantes. Não é a toa que os líderes religiosos estão repreendendo o vereador Abílio, pois ele que colocou o nome da igreja “no olho do furacão”, fazendo com que os fiéis questionem o porque da igreja não ter descoberto antes essas falcatruas, com seus representantes na Câmara Municipal, Assembleia Legislativa e agora na Câmara Federal buscando tirar proveito do cargo para beneficiar algumas pessoas de seus interesses.

O caso de funcionário fantasma do deputado federal Victório Galli se refere a servidora identificada como Andreza Andrade Cabóra da Silva, que exerce o cargo de secretária parlamentar, que exige que ela tenha jornada de 40 horas semanais. A equipe de reportagem comandada pelo repórter Arthur Garcia acompanhou a rotina da denunciada por um dia e constatou que, apesar de receber pagamento pela função pública, a mulher também trabalha em uma clínica em um bairro de luxo.

A comprovação se deu através de uma câmara escondida, onde a produção do programa se passou por paciente para agendar uma consulta, e ficou constatado que Andreza trabalha na referida clínica como secretária.

Ao ser questionada pelo repórter Arthur Garcia sobre o porquê de não prestar o serviço para o deputado Galli, Andreza procurou se desvencilhar do repórter, entrando rapidamente no carro que a esperava, mas chegando a afirmar que não trabalharia para o deputado federal. Por mês, a servidora recebia R$ 1.126 como remuneração eventual/provisória.

Já o deputado Victório Galli ao ser questionado, confirmou que Andreza trabalha para ele, prestando serviços em Cuiabá, explicando que diferente dos servidores da Assembleia Legislativa que precisam bater ponto, os funcionários da Câmara Federal podem prestar serviços no Estado, e que ele teria servidores em todos os municípios pólos de Mato Grosso.

Galli ainda afirmou ter desconhecimento de que Andreza Andrade teria outro emprego. “Se ela trabalha em outro emprego, ela está me traindo. Eu não sei disso. Foi eu que a contratei, e nunca soube que ela trabalhava em outra clínica aqui. Se ela estiver fazendo isso, vai ser demitida”, frisou o deputado.

Victório Galli disse ainda que não procurou referências sobre a mulher antes de contratá-la. Conforme exposto pelo programa, Andreza era funcionária da Secretaria de Estado de Gestão (Seges) e foi exonerada em 2014, mesmo ano em que passou a trabalhar para Galli. “Ela é uma pessoa que me representa nas reuniões que pedimos para ela fazer”, frisou o deputado.

Ainda foi exposto pelo programa outras contratações supostamente irregulares, inclusive de parentes do pastor Sebastião Rodrigues, presidente das Assembleias de Deus. Conforme a reportagem, Galli empregaria Willian Flávio de Souza, Cris Karen de Souza e Anderson Brunini Moumer, que seriam netos do pastor Sebastião. Em sua defesa, Galli afirmou que procura empregar pessoas que ele sabe que realmente trabalham para ele e negou que tenha empregado essas pessoas a pedido do pastor Sebastião.

“Nunca ninguém me pediu nada, eu contratei porque eles prestaram serviço comigo e trabalha comigo. Inclusive o Anderson trabalhou antes mesmo de eu ser deputado. Eu tomava conta da escola teológica e ele fazia trabalhos digitais para mim”, se defendeu o deputado.

Após tomar conhecimento no dia da gravação do programa, o deputado afirmou que iria apurar a situação e no último dia 07 acabou por exonerar Andreza Andrade. Galli declarou ainda que, após a denúncia, decidiu implementar a prática da assinatura de livro-ponto em seus gabinetes.

Pastores repudiam ações do Vereador Abílio e afirmam que ele presta um desserviço ao Evangelho

 

(colocar a foto do pastor Andersom , te passei o site )

 

Da Redação com

A comunidade evangélica começa a manifestar sua reprovação às ações perpetradas pelo vereador Abílio Júnior (PSC), representante da Assembleia de Deus. O edil vem sendo alvo de diversas denúncias e respondido com ataques e perseguições, quando deveria prestar esclarecimentos, principalmente aos irmãos fiéis. Lembrando que até mesmo para ser eleito, Abílio cometeu irregularidade, tanto que está com mandato cassado, apenas desenvolvendo a atividade parlamentar pelos recursos junto à Justiça Eleitoral.

Nas últimas semanas, o vereador deixou de lado seu trabalho parlamentar para travar uma verdadeira guerra com o jornal Centro-Oeste Popular, que tem pautado algumas matérias envolvendo o nome de Abílio, principalmente quanto a contratação de sua madrasta, Damaris Rastelli, que por sua influência, ficou lotada no gabinete do deputado estadual Sebastião Rezende (PSC), cargo ao qual pediu exoneração após o caso vir a público.

Mesmo o Conselho da Assembleia de Deus já deixou pública sua preocupação com as atitudes do vereador, que trouxe a público fatos obscuros sobre empreguismo e casos de evangélicos fantasmas nos gabinetes do deputado estadual Sebastião Rezende e do federal Victório Galli.

A preocupação é tanta, não só dos fiéis da Assembleia de Deus, como de outras denominações evangélicas, que conforme o site Olhar Gospel, foi realizada uma reunião com membros de diversas denominações que reprovaram publicamente a atitude do vereador Abílio.

Pastor da Primeira Igreja Batista, J. Júnior deixa claro que o vereador devia ter atitudes que preservassem sua imagem pública, priorizando o trabalho pelo bem comum. “Um evangélico não pode se expor, pois o fazendo expõe a Cristo, porque o que mão direita, faz a esquerda não precisa saber”.

Já o pastor Okaesom Simon, da Presbiteriana, chama atenção para as atitudes inconseqüentes de Abílio Júnior.  “Nós devemos poupar o Evangelho de algumas atitudes tresloucadas e inconsequentes como esta do vereador Abílio”, alertou.

É bom lembrar que o jornal Centro Oeste Popular já havia afirmado que Abílio Júnior estaria envergonhando seus irmãos evangélicos, expondo até mesmo outros membros da igreja, como os deputados Sebastião Rezende e Victório Galli, que em pleno ano eleitoral enfrentam desgaste por atitudes inconseqüentes do vereador.

Abílio deve mesmo perder o discurso de defensor da moral, que tente alardear com ações meramente eleitoreiras e populistas, gravando vídeos que são postados em redes sociais, mas sem fazer nenhuma ação concreta para resolver as questões.

A autopromoção é repudiada também pelos líderes religiosos, como exposto pelo Asp. Pr. Wanderson Siqueira, que ressalta que os cristãos devem ajudar aos menos favorecidos, e não tirar proveito próprio de algumas situações, como usar do cargo público para empregar familiar em cargo fantasma.

“O vereador Abilio fala só por ele, não pelos cristãos. Na verdade, o vereador Abilio não fala nem pela igreja onde ele congrega, pois nunca uma igreja com a Assembleia de Deus apoiaria uma atitude destas, em usar a tribuna para se promover. Nóss cristão devemos sim perseverar e ajudar ao povo menos favorecidos, não favorecer a nós próprios ou somente nossa família”, frisou Wanderson.

O pastor Gilbert, da Igreja Videira, disse que a sua comunidade estará orando para que Abílio Júnior não aja com ódio, como vem demonstrando nas últimas ações na Câmara Municipal. “
Nós vamos orar para que Deus tenha piedade deste jovem, para que ele possa agir de forma mais serena e responsável, não agir com ódio ou desejo de vingança, pois somos a luz do mundo e o sal da terra”, disse o pastor.

A reportagem do Centro Oeste Popular falou com o deputado Federal que por sua fez foi enfático ao dizer que demitiu sua funcionária uma vez que perdeu a confiança na mesma , já o Vereador Abilinho  não obtivemos retorno .


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo