19 de Junho de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

Segunda-feira, 10 de Junho de 2019, 13h:11 - A | A

Solidariedade

Salinas Gold garante 100% dos partos na cidade de Poconé

Reprodução

image

 Solidariedade, gratidão e respeito ao próximo. Esses são elementos fundamentais que resultaram em uma grande ação em prol da população do município de Poconé, distante 100 quilômetros de Cuiabá. Com um dívida aproximada de R$ 1 milhão, falta de repasses por parte do estado  desde maio de 2018,  o Hospital Geral Dr. Nicolau Fontanilas Fragelli corria o risco de fechar as portas, porém, o empresário Valdinei Mauro de Souza, proprietário da Salinas Gold Mineração Ltda, encabeçou uma ação e juntamente com outros empresários e médicos, firmou convênio para continuar mantendo o atendimento aos poconeanos, que neste primeiro momento beneficia mulheres gestantes.Segundo o coordenador administrativo da Salinas Gold Mine, Mauro Vasquez, o convênio firmado foi implantado em 2018 e a meta era realizar 14 partos mensais. Ele explica que as cirurgias ocorrem todas as segundas-feiras. “O convênio foi firmado entre a Salinas, hospital e o Dr. Rogério Barros de Siqueira  da Clínica Plena. O hospital cedeu o espaço para cirurgias de parto que ocorrem Às segundas-feiras. Bancamos toda a estrutura clínica, o departamento médico e medicamentos, uma pequena parte dos exames de laboratório ao custo de R$ 41 mil ao mês para a realização de 14 partos”.Com muita alegria Mauro Vasquez afirmou que o convênio foi celebrado em outubro de 2018. Segundo ele, naquele mês foram seis cirurgias e tem meses que há mais nascimentos do que outro. “O convênio afiança toda estrutura que fica preparada á disposição da população que são pagas pela Salinas Gold. Além de partos, são feitas laqueaduras e retiradas de trompas. No mês de abril, o atendimento chegou a 16 procedimentos”, revelou.O presidente da Associação Beneficência Poconeana e diretor do hospital de Poconé, Danton Caporossi, comenta que a parceria da mineradora com a entidade filantrópica é fundamental para que as portas continuem abertas. “Além da colaboração do Nei, precisamos de mais ajuda de todos, daqueles que estejam dispostos a colaborar com nossa causa. Não recebemos nenhuma ajuda do Governo do Estado e estamos tentando uma agenda com o secretário estadual de Saúde e com o governador Mauro Mendes para sensibilizá-los da importância de recebermos os recursos do Estado”, sinalizou o diretor do hospital. 

Novidade

Além do custeio das cirurgias para rede feminina, a partir do próximo mês as gestantes serão contempladas com o kit parto. Vasquez informa que o kit é composto de uma banheira, fralda, álcool em gel, gazes para os primeiros cuidados básicos com o recém-nascido. Critérios Ao ser indagado sobre os critérios para seleção das mulheres, o coordenador afirmou que não existe essa triagem, pois o objetivo era o atendimento as gestantes, porém o hospital atende todas as pessoas carentes e aquelas que não têm condições de pagarem pelos procedimentos.“Não temos o trabalho de assistente social para fazer a seleção. Nossa proposta é ajudar as mulheres carentes no município. O foco do convênio é a mãe carente. Se o parto oferece risco para mãe e para o bebê, eles estão encaixados no convênio. Entra nesse rol de benefícios mulheres que estão com problemas nas trompas, precisam fazer laqueadura. Toda parte médica que diz respeito à rede feminina entra na esfera do nosso convênio de média complexidade e a cesárea”, assegura o coordenador da Salinas Gold.Quando sobram vagas e existe uma situação de emergência, Mauro diz que o procedimento é feito, pois não tem discriminação e o objetivo é atender a população poconeana, sem tirar a vaga de quem realmente precisa. “Não faltam vagas. Fizemos um número para sobrar. O valor do convênio é fixo e por isso, vamos trabalhando. No mês de abril foram 16 partos. O Nei como é conhecido na cidade quer aumentar essa parceria, pois estamos precisando de uma escadinha para o paciente subir na maca”.

Reconhecimento 

A paciente Alícia Karolina Sales Guimarães, 20 anos, foi uma das beneficiadas com o parto. Ela teve seu segundo filho graça ao convênio. Feliz,  assegura que essa iniciativa tem ajudado centenas de pessoas do município que estavam a mercê da sorte.“A atitude do Nei é gratificante. Tive muitas dificuldades no meu primeiro parto. A equipe médica é atenciosa e tudo é feito com comprometimento e responsabilidade”.Apoio A Salinas Gold Mineração Ltda é uma empresa antiga, mais entrou em operação desde 2016, e daí foi se formando raízes em Poconé. Ao se firmar no município o proprietário da mineradora viu a oportunidade de retribuir e ajudar a população que ajudou sua empresa. “O convênio estadual venceu em maio do ano passado e não foi renovado. Gratidão. esse é o sentimento do proprietário da mineradora. Além do parto, nossa ideia é fazer o acompanhamento desses primeiros seis meses, porque existe uma taxa de mortalidade grande. A população é muito carente e precisa ter os cuidados básicos mínimos.Não temos envolvimento político” garante o coordenador administrativo da Salinas Gold , Mauro Vasquez.

Dívidas antigas 

De acordo com Mauro Vaquez, o hospital está endividado e precisa de tudo para resolver as pendências que se arrastam ao longo dos anos. Para solucionar as dívidas, o hospital precisa em torno de R$ 1 milhão. Ainda segundo ele, em uma conversa entre o diretor do hospital, Danton Caporossie o Nei foi solicitado que fosse feito um levantamento da relação das principais dívidas. Após esse levantamento, 12 principais credores foram selecionadas e a Salinas Gold assumiu a dívida que soma o montante de R$ 260 mil, que vai ser parcelada em 12 vezes. “São dívidas antigas, dos anos de 2012, 2015, contas a pagar da assessoria contábil, convênio com a Unimed, laboratório, entre outros. É um sacrifício para receber do município. O SUS tem uma capacidade de atendimento que é renovada a cada ano. Ele tem estrutura para atender os Pronto Atendimento Médico (PAM), tem capacidade de internação, números de leitos, todo mês. Na hora que é feito o fechamento e se o número ultrapassa o atendimento, somente é pago o valor estipulado no convênio. Nosso próximo passo em prol da saúde poconeana é equipar o centro cirúrgico e trocar os equipamentos que são antigos”.

Cidadania

O médico responsável pela realização das cirurgias, doutor Rogério Barros de Siqueira, disse que se não fosse o convênio feito pelo Nei, o hospital geral do município já tinha fechado as portas. “Há dois anos todas as despesas da unidade hospitalar como remédios, médicos e as equipes estão sendo pagas pelo empresário Nei. Ele tem ajudado a reestruturar todo centro cirúrgico, tem conseguido ajudar quem precisa. No ano passado, devido à falta de recursos e de condições financeiras, tive que levar as pacientes gestantes para serem operadas em Cuiabá”, pondera.De acordo com o médico, a equipe cirúrgica é composta por um obstetra, um cirurgião, uma pediatra e um técnico de enfermagem que auxilia nos procedimentos que são realizados todos no mesmo dia. “A estrutura do hospital é muito boa. Os quartos são grandes e alguns até ociosos. Fui diretor da unidade de 2012 a 2015 e ajudei a administrar o hospital. Deixei de atender na unidade por causa dos atrasos que chegaram em torno de R$ 440 mil. Para manter as despesas, realizamos leilões beneficentes, a empresa de mineração sempre ajuda com uma quantia mensal. Porém, em 2018,  a situação agravou, as despejas com a equipe médica ficaram altas e ficou incompatível trabalhar sem ter salários. A nova diretoria ficou sem médicos e com as novas contratações a crise ficou mais complicada”.Doutor Rogério Siqueira salienta que desde a implantação do convênio até o momento já realizou uma média de 130 partos. Além dos procedimentos cirúrgicos de partos, o hospital opera pacientes do município e de regiões circunvizinhas com cirurgias de hérnias, miomas, entre outros.“A parceira é fundamental para manter o funcionamento do hospital municipal. Se não fosse essa iniciativa a unidade hospitalar já tinha sido fechado. É tão gratificante olhar para trás e ver que pude ajudar contribuir com essas pessoas. Isso faz toda diferença na minha vida. A Salinas Gold está fazendo muito por Poconé. Acredito que mais da metade dos recursos que entram no hospital são efetuados pela mineradora”.

Moção de aplausos

A Câmara Municipal de Poconé, através dos vereadores, fez uma moção de aplausos à Salinas Gold Mineração representada pelo proprietário Valdinei Mauro em reconhecimento as contribuições financeiras prestadas por ele na área da saúde no município, através de doações feitas a Associação Beneficência Poconeana. De acordo com a moção, o objetivo foi  a forma encontrada para agradecer ao empresário que vem contribuindo de forma significativa para o funcionamento da unidade hospitalar.

Gratidão a Poconé  

Nei lembra que Poconé conta com gigantesca riqueza em ouro, pecuária e turismo, e que fica localizado na região do Pantanal Mato-grossense, mas está entre os 130 municípios mais pobres de Mato Grosso.“Nossos políticos tinham que olhar mais para Poconé. A região é um local rico, de uma população maravilhosa. A mineração gera mais de 230 empregos diretos e 100 indiretos, beneficiando as famílias que moram no município. Só de Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) iremos pagar R$  2 milhões e se juntar todas os garimpeiros de Poconé, serão pagos mais de R$ 4 milhões esse ano. Espero que as autoridades olhem com carinho para a população poconeana, pois eles merecem uma saúde digna e de qualidade”, destaca.Na sua concepção, desse montante, 50% dos recursos deveriam ser destinados para município. “Pela lógica, esse montante teria ser investido em saúde e em projetos sociais da comunidade. Acredito no trabalho do governador Mauro Mendes. Já conversei com ele e o vice Otaviano Pivetta, que já sinalizaram o retorno do convênio por parte do Estado. Se o convênio for assinado, com auxílio do Estado, mais a nossa contrapartida, acredito também que muitos amigos meus e empresários de Poconé, que quando verem  o Governo fazer a parte dele, irão nos ajudar e teremos um atendimentos de qualidade no município”.Questionado sobre seu sentimento em ajudar ao próximo, Nei diz que o gratificante é encontrar as pessoas que foram abençoadas com a iniciativa e poder ver a alegria delas nos olhos, poder sentir a felicidade, agradecimento e gratidão delas. “Primeiro a gente abençoa e depois a gente é abençoado. A maioria das pessoas quer benção, mas não quer abençoar. Acredito muito nessa frase”, finaliza o empresário.

Imprimir

elaine Moraes 11/06/2019

parabéns a Salinas Gold, em especial ao Sr. Valdinei e família, Deus abençoe vocês.

Pedro 10/06/2019

Parabéns ao Waldinei (Nei) , conheço ele a 28 anos e sei o coração deste cliente, amigo e parceiro . Que Deus esteja sempre o protegendo.

2 comentários

1 de 1

ENQUETE

VEJA MAIS

Você é contra ou a favor ao novo decreto do porte de armas?

PARCIAL

RÁDIO

Coletiva Santa Casa

Áudios da coletiva sobre a Santa Casa


(65) 3052-6030

redacaocopopular1@gmail.com admcopopular1@gmail.com financeiro@copopular.com.br

image