Economia

11/05/2017 08:54

Vendas no comércio caem em março de 2017, diz IBGE

As vendas do comércio varejista brasileiro recuaram 1,9% em março em comparação com fevereiro, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (11). Em relação a março de 2016, o varejo nacional recuou 4%, 24ª taxa negativa consecutiva nessa comparação.

Nos primeiros três meses de 2017, o comércio acumula queda de 3%. Nos últimos 12 meses a queda foi de 5,3%.

"Para a margem, foi o pior resultado desde o início da série, em 2000", explicou Juliana Vasconcellos, gerente da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE. Juliana destaca também que o desemprego influenciou o resultado ruim. "A desocupação é a maior desde 2012, como mostram os dados da Pnad. A renda diminuiu".

"Outro fator que contribuiu foi a Páscoa, que gera mais vendas ao comércio na comparação com o ano passado. Em 2016, a Páscoa foi em março. Este ano foi em abril", contou Juliana.

Já a receita nominal de vendas apresentou, em março de 2017, queda de 2% em comparação ao mesmo período de 2016, alta de 0,5% no acumulado no ano e alta de 3,5% nos últimos 12 meses.

 

Atividades

Quatro atividades registraram taxas negativas: artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos e equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação, registraram -0,5%, tecidos, vestuário e calçados ficaram com -1% e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com -6,2%.

Por outro lado, móveis e eletrodomésticos (6,1%) livros, jornais, revistas e papelarias (5,6%), combustíveis e lubrificantes (1,1%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,9%) tiveram resultados positivos.

 

Regiões

As vendas no varejo recuaram em 16 das 27 unidades da federação, com as maiores variações negativas observadas em Goiás (-13,3%), São Paulo (-5,9%), Acre (-2,5%) e Mato Grosso do Sul (-2,4%).

Na comparação com março de 2016, 17 das 27 unidades da federação apresentaram resultado negativo no volume de vendas, com destaque para Goiás (-17%), Distrito Federal (-10,3%), Roraima (-9,5%), São Paulo e Espírito Santo, ambas com -8,9%.

Por outro lado, dez estados registraram resultados positivos: Santa Catarina (15,2%), Alagoas (5,8%), Tocantins (5,6%), e Paraná (3,5%).

 

 

Varejo ampliado

O comércio varejista ampliado, que inclui o varejo e mais as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, voltou a registrar variação negativa para o volume de vendas sobre o mês imediatamente anterior, na série com ajuste sazonal (-2%), após quatro meses seguidos de resultados positivos.

 

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo