Economia

05/12/2017 10:09 Diário de Cuiabá

Promoções reduzem etanol a R$ 1,93 em Cuiabá

Praticamente no fim do período da moagem da cana-de-açúcar, motoristas se deparam com o menor valor de bomba para o litro do etanol há mais de dois anos em revendas de Cuiabá e Várzea Grande. A queda brusca dos preços se acirrou na virada do mês quando a maior parte dos estabelecimentos resolveu ‘queimar’ o preço do combustível. A iniciativa, que segundo o segmento deriva da concorrência, trouxe o litro para até R$ 1,93, valor que não era visto mais nas duas cidades desde abril de 2015, conforme dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Na comparação, os preços saíram de uma média de R$ 2,29 para os atuais R$ 1,93. 

A queda pode ser ainda mais significativa, de até R$ 0,46, se consideramos que nos primeiros dias de redução sobre os preços, alguns postos ainda revendiam o litro do biocombustível a R$ 2,39. 

As promoções chamam à atenção dos motoristas, pois elas ocorrem em um momento em que as usinas de moagem de cana-de-açúcar se preparam para encerrar as atividades do ano e na contramão das altas, quase que diárias, da gasolina - conforme política de preços adotada pela Petrobras - em julho desse ano. As promoções estão possibilitando economia de até R$ 18 a cada 50 litros abastecidos, considerando o valor de R$ 2,29 – média antes das promoções – e o atual, R$ 1,93. Nesses casos o desembolso do motorista passa de R$ 114,50 para R$ 96,50 para os mesmos 50 litros. 

Mas a temporada de promoções também chama à atenção do próprio segmento revendedor, que aproveita o momento de certa euforia do consumidor, para deixar claro que as reduções são atemporais e fruto de decisões particulares de cada empresa revendedora. Sem um fator mercadológico que sustente os preços nesse patamar, em breve os valores de bomba podem retornar aos antigos níveis sem qualquer aviso prévio, assim como ocorre no momento de baixas sobre os preços. 

REVENDA

Em nota, Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Estado de Mato Grosso (Sindipetróleo-MT), explica que algumas distribuidoras de combustível derrubaram o preço do etanol na Baixada Cuiabana nos últimos dias e que isso possibilitou revendedores a realizarem as promoções. Já outros postos que não receberam preços diferenciados das suas distribuidoras, acabam cedendo às baixas para não perder clientes, na chamada ‘guerra de preços’. “Hoje, é possível encontrar o biocombustível variando entre R$ 1,980 e R$ 2,585 e muitos deles sendo revendidos por preços muito próximos aos de aquisição junto às distribuidoras”. 

O Sindicato destaca ainda que conforme levantamento da ANP, entre o dia 5 de novembro e 2 de dezembro o preço médio do litro do etanol em Cuiabá caiu de R$ 2,363 para R$ 2,288. Já o preço mínimo de R$ 2,199 para R$ 1,997, enquanto o preço máximo mantiveram-se em R$ 2,585. “Essa retração é decorrente de promoções praticadas por algumas distribuidoras, independentemente de oscilações nas usinas de etanol, onde os preços se mantêm sem grandes alterações desde agosto. Como o mercado é livre, essa tendência de baixa se alastra. Entre os postos, ainda que isso implique na possibilidade de desequilibrar o seu caixa". 

O Sindipetróleo pede, por meio de nota, “ser necessário que o consumidor, o Ministério Público e órgãos de fiscalização de preços, também saibam que, caso os preços retornem ao valor normal junto às distribuidoras, será natural que os postos também acompanhem a decisão dos seus fornecedores". 

MOVIMENTO 

Acompanhamento semanal de preços da ANP mostra que mesmo com preço médio de R$ 2,308, o litro do etanol hidratado em Mato Grosso segue sendo o mais baixo do país. As promoções verificadas na Baixada Cuiabana levaram essa diferença de preços entre Mato Grosso e São Paulo ao maior distanciamento já registrado pela Agência. Conforme atualização realizada entre os dias 26 de novembro a 2 de dezembro, o segundo valor mais baixo registrado ao biocombustível foi de R$ 2,721 em São Paulo, valor que amplia a diferença que sempre foi de apenas alguns centavos.

O levantamento mostra ainda que o menor valor de bomba registrado no Estado foi de R$ 1,990, em Várzea Grande e o maior preço de revenda foi observado em Cáceres, R$ 2,699. Nessa rodada de preços, a ANP - que sempre visita postos em oito cidades do Estado - registrou o comportamento dos preços em apenas quatro delas, Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres e Sinop.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo