Economia

08/05/2018 11:46 Diário de Cuiabá

Etanol tem maior valor em 16 anos em MT

Abril superou março e registrou o maior preço médio para o litro do etanol hidratado em Mato Grosso ao atingir R$ 2,966. Os preços apurados no varejo se tornaram os mais altos desse ano no Estado. Dentro da série histórica da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o valor médio do mês passado é o mais alto já apurado para os meses de abril desde o início da apuração da Agência, em 2002, ou seja, em 16 anos. 

Mesmo com o litro a quase R$ 3 na média do Estado, há locais onde o litro, na média, foi apurado em R$ 3,367, como o observado em Alta Floresta (800 quilômetros ao norte de Cuiabá), conforme a ANP. Já entre o preço mínimo e máximo, o litro do biocombustível foi encontrado a R$ 2,399, em Várzea Grande e a R$ 3,699, em Sorriso – com o litro mais caro do Estado, respectivamente. 

Na comparação entre os meses de abril da série histórica da ANP para Mato Grosso, em 2017 o litro registrou preço médio de R$ 2,546, ou 16,49% menor que o apurado em igual momento desse ano. O menor preço médio de bomba foi observado em 2002, R$ 1,106. Nessa comparação, a majoração de quase 170% no período. Em março, na análise mensal, o preço médio havia fechado em R$ 2,644, o que contra abril apresenta variação positiva de 12%. 

Mesmo com o preço médio de R$ 2,966, em Cuiabá e Várzea Grande, a maior parte dos postos revendedores tem comercializado o litro nesse início de abril a R$ 2,699, mas o que as revendas chamam de “promoção”, tem aliviado dos valores de bomba sobre o consumidor, com o litro por até R$ 2,499, valor bem mais acessível do que o registrado em março, onde boa parte dos postos comercializava o biocombustível por R$ 2,89 e R$ 2,79. 

Março, em Mato Grosso, é um mês que via de regra, marca o início da moagem da nova safra de cana-de-açúcar e assim, passa a ser também o início da desaceleração dos preços, pressionado pelo período entre uma safra e outra. No final de abril, todas as dez usinas em atividade no Estado deverão estar operando e colocando o novo combustível no mercado, o que reduz o preço pela maior oferta. O segmento produtivo destaca que Mato Grosso não tem, na prática, a chamada entressafra, porque mesmo com a paralisação das usinas entre outubro e novembro, existem estoques que asseguram o suprimento, além da opção de se produzir etanol do milho, o que aumenta a oferta até o início da nova safra de cana no Estado. 

O comportamento dos preços dos combustíveis é apurado semanalmente pela ANP, no varejo de sete cidades (Alta Floresta, Cáceres, Cuiabá, Rondonópolis, Sinop, Sorriso e Várzea Grande).


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo