Economia

07/06/2018 08:42

Abastecimento em Ceasa de Cuiabá é normalizado, mas preços seguem altos após greve

O abastecimento de produtos hortifrutigranjeiros na Central de Abastecimento de Cuiabá foi normalizado nesta semana, após o fim da greve dos caminhoneiros, segundo a Secretaria Estadual de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf). A greve durou 10 dias e terminou na quinta-feira (31).

Apesar do problema de desabastecimento ter sido resolvido, os preços dos produtos voltados ao comércio atacadista seguem altos.

Conforme a pasta, dos 69 itens pesquisados, 29 deles subiram de valores nos últimos sete dias. Ao longo da última semana, o item com maior alta foi a cebola, com aumento de 33%. No final de maio, a saca com 20 kg do produto era vendida a R$ 90 e, na última semana, a mesma quantidade estava sendo comercializada a R$ 120.

 
Preço da batata subiu 212% em Cuiabá durante a greve dos caminhoneiros (Foto: Reprodução/RBS TV)

Preço da batata subiu 212% em Cuiabá durante a greve dos caminhoneiros (Foto: Reprodução/RBS TV)

Na semana passada, o tomate e a batata eram os itens com maior percentual de aumento nos preços. O valor da batata havia subido 212%, e do tomate 114%.

Além da cebola, também apresentaram aumento nos preços os seguintes produtos: milho verde, pimentão, pimenta de cheiro, limão, maçã e três tipos de banana (maçã, nanica e prata).

 

Redução

Nessa semana, os preços da batata e do tomate apresentaram redução de 20% e 40%, respectivamente, mas seguem caros. O saco de 50 kg de batata na semana passada era vendido a R$ 250 e hoje está custando R$ 200. Já o saco de tomate, que era vendido por R$ 150, atualmente custa R$ 90.

Os preços dos dois produtos seguem altos quando comparados com os valores paticados na primeira quinzena de maio, quando tanto o saco do tomate quanto da batata custavam R$ 70.

 

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo