Economia

01/10/2018 16:30 Prefeitura Cuiabá

Estações Alencastro e Shopping Pantanal são consideradas boas ou ótimas por quase 90% dos usuários

Quase 90% dos usuários do transporte coletivo de Cuiabá avaliam os modelos da Estação Alencastro e Pantanal Shopping como bons ou ótimos. A porcentagem faz parte da Pesquisa de Opinião - Transporte Público do Município de Cuiabá, divulgada no início do mês pela Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cuiabá (Arsec). A parada de ônibus da Praça Alencastro, primeira climatizada da Capital, foi entregue em janeiro deste ano.

Além disso, a estrutura conta com portas automáticas e temporizador, para que o usuário acompanhe a chegada de seu ônibus ao local. Operando de maneira alto sustentável, com energia solar, a Estação segue padrões internacionais observados em importantes capitais mundo afora.

De acordo com o estudo, 26,42% dos usuários apontam os abrigos como ótimos, outros 56,80% como bons, enquanto 1,13% consideram ruins e outros 5,3% avaliam como regular. Do total, 7,35% não souberam opinar. O titular da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), Antenor Figueiredo, destaca que o levantamento é realizado anualmente desde 2016 e que seus resultados ajudam a nortear as ações para o setor.

Com valor total de R$ 1.224 milhão o terminal foi erguido com recursos oriundos do Fundo Municipal de Trânsito. “Esse montante será pago num prazo de quatro anos, com crédito de energia, por meio de uma parceria entre a Energisa e a Prefeitura. Se conseguirmos levar o modelo para outros bairros, como o prefeito pretende, daremos mais comodidade para quem depende do coletivo”, diz Antenor.

Características semelhantes são observadas no ponto do Pantanal Shopping, inaugurado no segundo semestre deste ano. Lá, as placas solares garantem boa luminosidade a qualquer hora do dia. Além disso há pontos de USB para recarga de celulares e de uma biblioteca com livros diversos que poderão ser usufruídos no espaço.

O inovador conceito conta ainda com espaço para idosos, cadeirantes, gestantes e obesos, com rampa de acesso nas normas exigidas, e também com a presença de jardins suspensos, que serão cobertos por plantas ornamentais.

Antenor reforça que o projeto “Adote um Ponto”, que resultou na construção dos dois abrigos, também substituirá todos os 400 pontos de ônibus que apresentam problemas estruturais na Capital. A proposta oferece três modelos diferentes. Dois deles, semelhantes às estruturas da Alencastro e do Shopping, serão implantados pelos principais corredores da Capital. Já o terceiro, mais simples, vai ser distribuindo entre os bairros.

A Pesquisa de Opinião foi realizada pela empresa Consulting do Brasil, entre 09 e 19 de julho de 2018, por meio de entrevistas presenciais com 1.509 pessoas, em 32 linhas de ônibus diferentes. Os passageiros foram ouvidos dentro dos veículos e por diferentes pontos de ônibus na Capital. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos.

Parceria com iniciativa privada

Todos os pontos serão construídos por intermédio do processo de chamamento público, no qual a iniciativa privada é incentivada a aderir à política denominada “Adote Um Abrigo”. Com essa dinâmica, empresas conquistam o direito legal de explorar o espaço com o uso de publicidade, à medida que também assumem a responsabilidade de zelar pelo lugar, com as devidas manutenções necessárias. 

A secretária adjunta de Mobilidade Urbana, Luciana Zamproni, explica que todo o trâmite é realizado por meio da adesão de empresas a um termo de cooperação, que resulta na construção dos pontos. Com o prazo mínimo de cinco anos para exploração, é possível que esse período seja prolongado conforme a legalidade dos trâmites institucionais.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo