Entrevista da Semana

“Programa busca assegurar integralmente o direito social das famílias em Mato Grosso”

Max Joel Russi é graduado em Administração de Empresas. Empresário e foi eleito o

vereador mais votado do município de Jaciara em 2000. Foi eleito e reeleito prefeito de

Jaciara nos anos de 2004 e 2008, priorizou as áreas de educação, meio ambiente, saúde

e infraestrutura. Foi o presidente do Consórcio Regional de Saúde da região Sul. Eleito

deputado estadual em 2014 com 20.690 votos pelo PSB. Atualmente Max Russi está

licenciado do cargo eletivo para assumir a gestão da Secretaria de Estado de Trabalho e

Assistência Social. Em entrevista, o secretário fala sobre oa Programas “Pró-Família” e

“Criança Feliz” lançados pelo governador do Estado de Mato Grosso, Pedro Taques e o

ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra.

Olho 1-“Estamos trabalhando juntos com todas as secretarias para que as políticas

públicas beneficiem essas famílias e consigam melhorar sua situação de

vulnerabilidade”.

Olho 2-“Definimos o percentual para ter de forma igualitária em todos os municípios do

estado, priorizando os 30 piores IDH de MT”.

 

Olho 3- “Queremos que os municípios dentro da sua área de atuação dependam daquilo

que realmente a gente dê condições de qualificar e colocar com mais chances no

mercado de trabalho”.

 

Regina Botelho

Da Redação

 

Centro-Oeste Popular- Qual a importância do programa Pró-família para MT?

Max Russi- Promover a inclusão social de famílias pobres, extremamente pobres, em

risco ou em situação de vulnerabilidade social, por meio de transferência de renda. O

Programa prevê a entrega de um cartão para as famílias, com o qual elas poderão

adquirir alimentos, no valor de R$ 100,00.

 

CO Popular- Qual o público alvo do programa?

Max Russi- O público-alvo são 35 mil famílias com renda familiar per capita inferior a

um terço do salário-mínimo vigente, que deverão receber um auxílio mensal para ser

investido, principalmente, em alimentação. No entanto, terão que atender a uma série de

condicionalidades, como, por exemplo, manter a frequência escolar dos filhos.

 

CO Popular- Qual o custo do Pró-Família e seu objetivo?

Max Russi- O Pró-Família terá um custo global de R$ 60 milhões para atender 35 mil

famílias nos 141 municípios do Estado. O objetivo é promover a inclusão social de

famílias pobres, extremamente pobres, em risco ou em situação de vulnerabilidade

social, por meio de transferência de renda.

CO Popular – Secretário, como funciona o Programa Criança Feliz?

Max Russi- O Governo Federal destinou o valor global de R$ 666 mil para Mato

Grosso. No Estado, 37 municípios aderiram ao programa e 5.950 crianças serão

atendidas. O Programa é instituído no âmbito das políticas públicas protetivas à

primeira infância, e busca assegurar integralmente o direito social pela proteção integral

das pessoas em situação de vulnerabilidade social, desde a gestação até os seis anos de

idade. O Criança Feliz prevê, entre outras ações, visitas domiciliares semanais de

acompanhamento dos filhos dos beneficiários do Bolsa Família. O Governo Federal

pretende atender mais de quatro milhões de crianças em todo o país até 2018.

CO Popular- O programa é de transferência de renda, mas que também tem o objetivo

de qualificar e dar caminhos novos para essas famílias?

Max Russi- Sim. Esse é o diferencial maior do programa e isso será o ponto de sucesso

do programa: o número de famílias retiradas da vulnerabilidade.  Estamos trabalhando

juntos com todas as secretarias para que as políticas públicas beneficiem essas famílias

e consigam melhorar sua situação de vulnerabilidade.

CO Popular - Qual o valor que vai ser passado para cada família?  Quantas famílias

estão cadastradas?

Max Russi – Serão R$ 100 em alimentação, que não poderão  ser usados para comprar

bebida e cigarro. Essas famílias deverão estar no cadastro único da Assistência Social,

um requisito fundamental que não abrimos mão. O cadastramento ainda vai ser feito.

CO Popular- Essas 35 mil famílias novas vão ser identificadas nesse programa ou são

famílias que recebem o Bolsa Família?

Max Russi- Novas, mas que podem coincidir de estar no programa Bolsa Família. A

ideia é o agente de saúde identificar na sua área de atuação aquelas famílias prioritárias.

São mães solteiras com vários filhos, deficientes, famílias com idosos acalmados,

famílias que estão todos desempregados, enfim famílias que estão morando em áreas de

risco.

CO Popular-O programa vai atingir os 141 municípios de Mato Grosso?

Sim- Sim.  Foi feito um critério de divisão através do Bolsa Família, através do cadastro

único da assistência social. Definimos o percentual para ter de forma igualitária em

todos os municípios do estado,  priorizando os 30 piores IDH de MT. Foi uma

determinação do governador.

CO Popular- Quando se fala em qualificação quem está envolvido e que tipo de

qualificação será dada?

Max Russi- Temos vários parceiros, entre eles a Fecomercio, Ministério Público do

Trabalho, Tribunal de Justiça, OAB, Lions, Maçonaria, Rotary. Enfim, procuramos

todos os agentes possíveis e demandaremos as ações em conjunto com secretaria de

assistência social. Queremos que os municípios dentro da sua área de atuação dependam

daquilo que realmente a gente dê condições de qualificar e colocar com mais chances no

mercado de trabalho.

CO Popular- Será feito alguma pesquisa com essas 35 mil famílias?

Max Russi- Sim. Iremos fazer um grande RX- da situação dessas famílias. Dessa forma,

pretendemos fazer um grande monitoramento desse cadastro.

CO Popular-O senhor deixa claro que a Setas vai depender bastante da eficiência da

área da assistência social dos municípios. Como está esse entendimento?

Max Russi- Fundamental.  Sem os municípios, os prefeitos e as assistentes sociais não

conseguiremos avançar no programa. Os municípios irão ganhar muito com isso. A

obrigação que todos os prefeitos almejam é melhorar a fonte de renda da sua população.

Então eles vão ter que traçar estratégias. Estamos procurando várias fórmulas para

estimular as prefeituras. Mas só vai ter sucesso quem tiver interesse maior.

CO Popular- Como funciona o Programa Criança Feliz?

Max Russi- É um programa em parceria com o Governo Federal e o Governo do

Estado. Na minha concepção é um belo programa. Um exemplo, é que apenas no

começo apenas 37 municípios aderiram. Essas cidades vão ganhar o aporte, recurso, o

Ministério vai mandar o dinheiro por criança assistida, desde a gestação até os seis anos

de idade. Aquela família que tem uma criança que está no Bolsa Família, que é

vulnerável, o município irá pagar por visita um agente social para poder fazer o

acompanhamento lá. O ministério quer que se faça uma política muito forte em cima

dessa criança.

CO Popular- Mato Grosso já tem um número especifico sobre quantas pessoas serão

atendidas?

Max Russi- Todos os municípios que aderiram ao Criança Feliz. Todas as crianças terão

acompanhamento , das famílias que estão no Cadúnico e que estão recebendo o Bolsa Família 


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo