Entrevista da Semana

"Minha grande frustração foi não ter retomado as obras do VLT”

O secretário e deputado estadual licenciado da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Wilson Santos (PSDB), foi o entrevista da semana no Centro Oeste Popular. Ele bateu um papo com a equipe para falar dos desafios na Secretaria de Cidades por onde ficou 15 meses. Veja abaixo as principais obras e os próximos projetos do secretário.

Jornal Centro Oeste:  Quais as principais ações que o senhor fez na Secid? E com a saída da secretaria em breve. Como está, o planejamento?

Wilson Santos:  No máximo até dia 06 de abril estou de volta na Assembleia Legislativa. Tanto eu quanto o deputado Max Russi, que está na  Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas) . Olha foi foram 15 meses de muito trabalho, muito foco, nossa missão principal era retomar 16 obras paralisadas, obras da copa paralisadas. E conseguimos reformar 12 dessas obras e deixamos bastante adiantado o destravamento das outras 4. Foi uma fase interessante de bastante aprendizado, e que pudemos dá a nossa contribuição o Estado.

Co:  Quais o senhor colocaria como as principais obras?

WS:  A obra do Aeroporto Internacional de Cuiabá. Tirando o Aeroporto com aquela classificação com o pior do País e deixando ele como um dos 12 melhores do Brasil. A retomada da Salgadeira que deverá ser inaugurada em breve. A solução definitiva do abastecimento de água de Chapada dos Guimarães; retomada e conclusão da trincheira Santa Rosa a futura   professora Irini de Campos Povoas; retomada da Avenida Parque Barbado  a solução  para o alagamento para Avenida Fernando Correia nas proximidades do viaduto da UFMT; conclusão do Complexo Viário  Tijucal que leva o nome do deputado Walter Rabelo; retomada do pacote de unidades habitacionais retomamos mais de 10 mil unidades habitacionais que estavam paradas em parceria com a Caixa Econômica Federal. E a minha grande frustação foi não ter retomado as obras do VLT.

CO: Essas obras da UFMT já apresentou algum alagamento com as chuvas registradas dos últimos dias? Tanto que a deputada estadual Janaína Riva (MDB), criticou as obras do governador Pedro Taques, afirmando que Governo ruim é aquele que entrega obras mal feitas.

WS:  Não, a obra não apresentou nenhum problema. O fato da Janaina é tudo fake News.

CO: Já tem algum nome pra Secid? Assim que sair?

WS:  Não. Não tem é uma escolha individual do governador, pode ser alguém da Casa. Nós temos vários bons nomes ou pode ser alguém da fora que vem pra somar.

CO:  Quem é um bom nome?

WS:  Olha quem me substituiu várias vezes foi a Juliana Ferrari. Ela está na casa há 15 anos e entrou junto com o governo do Blairo Maggi e nunca mais saiu. Tudo fruto da sua competência e honestidade. Ela é um nome sempre lembrado, e tem os outros adjuntos também que tem perfil pra assumir. No entanto, pode ter alguém de fora pra somar. A Secid é uma pasta nova e por ter apenas sete anos já tem mais de 400 obras.

Jornal Centro Oeste:  Voltando pra AL, quais são os projetos? Já sabe o que vai fazer de imediato? Tem projeto de reeleição?

WS: Olha não deu tempo nem de respirar ainda. Vamos voltar e cumprir nossas funções de fiscalizar, continuamos na base do governo, e atuar nas comissões da Educação e outras que por ventura a minha bancada designar.

CO: Agora voltando já com o desfecho das operações. Acredita que caiu um pouco a credibilidade da Casa? O que deve ser feito para melhorar essa situação? Acredita que ainda tem como tocar os projetos, o que que falta de fato?

WS: Eu não estou acompanhando de perto. Sem tempo para acompanhar a Secid toma todo o meu tempo, mas vou voltar e cumprir com minhas funções. A casa tem as instâncias de investigação, Comissão de Ética e espero que eu ela possa dar satisfação a altura a sociedade.

CO: Voltando, qual o projeto de imediato? Tem prioridades?

WS: Tenho eu quero ver aprovado o projeto de lei que isenta o ICMS para policias de todas as áreas nos produtos como armas, munições, fardamentos e equipamentos de proteção individual.

Co: Falou em armamento é a favor e apoia a ideia do pré-candidato à República, Jair Bolsonaro, que a sociedade deve ter porte de armas para se proteger e ajudar na proteção da família?

WS: Sou simpático, nessa tese. Tem muitas ações ainda precisam ser analisadas.

CO: Mas, aqui tem várias atuações do Comando Vermelho, mandados de execução com decapitações, vários registros de boletim de ocorrências de roubos e furtos? Segurança está falhando neste aspecto?

WS: Eu acho que nós sempre temos que massagear as nossas utopias. O mundo ideal platônico é que desarmasse a sociedade. Porém, a realidade dura e crua é que não adianta desarmar a sociedade e deixar o bandido cada vez melhor armado. É desleal essa concorrência.

CO: Com relação ao governador Pedro Taques (PSDB), vai ou não sair como candidato para governo?

WS: Acredito! Temos trabalhado nesse sentido, fez um trabalho de reconstrução e arrumação da casa e merece mais quatro anos pra efetivamente colocar em práticas sonhos e realização que o povo merece.

CO: Wilson você é do ponto de vista do governador que comentou em uma entrevista esses dias que é fácil falar de alguém. No entanto, nunca se analisa a dificuldade que é uma gestão, como por exemplo, a dele que enfrentou crise.

WS: Pedro Taques foi pra moralizar a gestão pública. Ele era visto como xerife e foi depositando nessa postura que a população o elegeu no primeiro turno com 58% dos votos. E essa missão foi comprida ele resgatou o princípio republicanos na gestão. Acabou com a história de mensalinho, mensalão, propina daqui e da li. Pôs um ponto final nisso e essa missão foi cumprida. Além dessa missão conseguiu bater recorde em várias áreas. Por exemplo, foi o governador que mais fez asfalto e reconstruiu asfalto em Mato Grosso e toda a sua história; implantou maior número de leitos de UTI em todo o Estado; construiu unidades habilidades na história de Mato Grosso; governador que mais investiu na Segurança Pública; que mais contratou policias em toda história de 180 anos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros; que mais pagou melhor salário pra Educação. Então além de ter realizado sua missão principal que foi moralizar a gestão pública ele ainda bateu recorde de obras e serviços em diversas áreas.

CO: Para finalizar. Com relação ao caso em que teve seu nome citado depois que o deputado Jajah Neves (PSDB), foi gravado afirmando que não conseguia seguir com os projetos porque era obrigado a te devolver a Verba Indenizatória. Em qual pé, que ficou essa história.

WS: Muito bom fazer essa pergunta porque eu gostaria de esclarecer e responde-la. Estou aguardando o veredito do Ministério Público Estadual (MPE), já fui ouvido. Além do meu depoimento encaminhei a declaração de outros três deputados estaduais e um federal que foram meus suplentes, sendo o conselheiro Antonio Joaquim, Lino Rossi e José Magalhães, foi encaminhado para o promotor Mauro Zaque para comprovar meu comportamento ético e correto quando me sucederam em todos os meus afastamentos. Estou tranquilo e com a consciência limpa. Coloquei sigilo bancário e fiscal à disposição da Justiça e agora aguardo a condenação ou me tirando pra fora dessa.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo