Esporte

18/12/2017 11:28 Folha Max

Representantes de MT lutam por orçamento para Jogos Escolares

Representantes de entidades esportivas e gestores públicos defendem mudanças no Projeto de Lei que altera a destinação dos recursos obtidos por meio das loterias para o Esporte. A forma do rateio da verba, apresentada pelo relator da matéria, o deputado Fábio Mitidieri (PSD/SE), retira do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) o orçamento mínimo necessário para a realização dos Jogos Escolares da Juventude, que só em Mato Grosso teve, neste ano, mais de 10 mil alunos representando 110 municípios.

A comissão esteve reunida em Porto Velho (RO) e ao final dos debates assinou a Carta de Rondônia. O documento propõe alterações ao projeto relatado por Mitidieri no sentido de assegurar a manutenção de todas as etapas regionais, estaduais e nacionais do evento, que desde 2005 é realizado neste formato, revelando diversos campeões.

Atualmente, 2,7% dos valores arrecadados nas loterias federais autorizadas no Brasil é destinado aos esportes. A ideia dos gestores é que 5% deste valor seja alocado ao COB exclusivamente para a realização dos Jogos Escolares da Juventude.

O secretário adjunto de Esporte e Lazer de Mato Grosso, Leonardo de Oliveira apoia a proposta da comunidade esportiva. Para ele, é fundamental a manutenção de condições para que o COB, em parceria com os gestores esportivos, realize o evento no formato atual. “Os Jogos Escolares movimentam milhares de pessoas ao longo do ano. Em Mato Grosso, tivemos em 2017 a realização de 10 etapas regionais e mais três estaduais. Além disso, os campeões representaram Mato Grosso em duas etapas nacionais”.

Oliveira destaca que a proposta elaborada em Porto Velho é a melhor do ponto de vista de se assegurar a autonomia para a realização dos jogos sem prejuízo para nenhuma outra área do desporto que é contemplada com os recursos das loterias. “Os percentuais definidos são suficientes para os órgãos que cuidam do esporte, para o investimento na preparação de atletas, além do desporto escolar e universitário”.

A carta foi assinada por representantes de 15 Estados, obteve o apoio de outros quatro e também teve a chancela de presidentes das Confederações Brasileiras de Atletismo, Badminton, Basquetebol, Ciclismo, Ginástica, Handebol, Judô, Natação, Tênis de Mesa, Voleibol, Wrestling e Xadrez.

Os Jogos Escolares da Juventude são a maior competição estudantil do Brasil e reúne jovens entre 12 e 17 anos, de escolas públicas e privadas de todo o país, em 14 modalidades. Atualmente, o evento representa 40.000 escolas de 3.950 cidades do Brasil. A fase nacional reúne em cada faixa etária cerca de 4 mil atletas dos 26 estados da Federação mais o Distrito Federal.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo