Esporte

27/07/2018 09:54 MSN

Andrés Sanchez nega que Corinthians esteja vendendo jogadores para fazer “caixa”

O presidente do Corinthians Andrés Sanchez concedeu entrevista coletiva nesta quinta-feira e entre tantos assuntos abordados esclareceu a saída de jogadores para o exterior. Neste início de segundo semestre, o Timão perdeu os titulares Balbuena, Maycon, Sidcley e mais recentemente Rodriguinho.

O mandatário negou que as saídas foram forçadas por necessidade de reforçar os cofres alvinegros, disse torcer para que mais ninguém deixe o clube e prometeu um time competitivo.

 

"Queria falar diretamente para o torcedor que está meio revoltado, cada um com suas razões. Do time bicampeão paulista, perdemos quatro jogadores e vendemos dois, o Rodriguinho e o Maycon, que já vinha negociação desde o ano passado. No Corinthians vai ficar jogador que queira ficar no Corinthians. Está provado nos últimos anos que nós perdemos atletas e comissões técnicas e continuamos montando times competitivos. Esse ano não será diferente. Perdemos a comissão técnica e estamos remontando tudo novamente", disse Andrés, para em seguida afirmar que não fará loucuras financeiras.

"O Corinthians tem suas dificuldades, mas o time de futebol é a prioridade. Será assim sempre. Vamos continuar com time competitivo. O Corinthians será forte e cada dia mais forte. Não vamos fazer loucura no futebol, não admito pagar R$ 600 mil para treinador, R$ 600 mil para jogador. Se sair mais algum jogador, não queremos vender ninguém, não estamos precisando, mas se o jogador quiser ir, não vamos ter um jogador descontente. Vocês sabem que um jogador descontente acaba com o grupo. Vocês sabem o que acontecem. Quem quiser ir embora vai amanhã na minha porta e fala. Aqui só vamos ter jogadores que queiram ficar. Eu entendo assim. O Balbuena todo mundo já sabe, ele colocou a multa baixa e aceitamos para não perder nada. Com o dólar a R$ 4, é mais difícil de segurar ainda", completou para logo em seguida desmentir que as vendas são necessárias para fazer "caixa".

"É o caso do Balbuena. A multa do Rodriguinho era 10 ou 12 milhões. Só tinha um time que fez oferta. A primeira era de 2,5, a segunda de 3,5, e agora veio de 6 milhões. O Corinthians brigou e ficou com 4 milhões sendo dono de 50%. Quando só tem um time para comprar, acerta primeiro com o jogador e depois vai acertar com você. O Corinthians não está vendendo jogador para fazer caixa, não precisa vender. O Corinthians tem dificuldades, mas não está nada desesperador. Tanto que compramos o Douglas do Fluminense. Vamos procurar errar o mínimo possível. Não vou pagar 10 milhões para um jogador", encerrou.

Andrés Sanchez admite incompetência do Corinthians em negociação por naming rights da Arena 

A busca pelos naming rights da Arena Corinthians já dura mais de quatro anos. Em entrevista coletiva nesta quinta-feira, o presidente Andrés Sanchez explicou por que o clube ainda não conseguiu sacramentar o acordo e admitiu incompetência.

Primeiro por incompetência nossa. Segundo que quando fizemos a Arena é um país e depois virou outro. É incompetência, mas estamos trabalhando arduamente. É questão de tempo. É cultura brasileira, é um monte de razões"

"Eu quero, fui chamado de incompetente. O que tem relação são vários fatores. O mais grave é a queda das atividades do Brasil. E houve uma deterioração no futebol em geral, com violência, sacanagem, com dirigentes presos... Tudo isso atrapalhou a imagem. E Copa do Mundo ainda suga recursos, e ficou mais complicado. Quando você vende uma camisa, é um outdoor, está claro o que está comprando. E é um ano. Se eu cometo algum deslize, é um ano. 20 anos é uma coisa muito séria. O que ele chama de incompetência é o seguinte: duvido que você consiga imaginar um nome que a gente não tenha contatado, mas é um processo demorado. Não é como vender um carro, que sabe direitinho o que está comprando. É um produto totalmente artesanal"


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo