Esporte

09/10/2018 18:34

Brasil encara problemas e tenta dar força ao grupo para evoluir no Mundial: "Precisamos de todas"

O alerta foi dado ainda no Brasil. Ao preparar o grupo para o Mundial, José Roberto Guimarães afirmou que precisaria de todas as jogadoras, a qualquer momento. A entrada de Drussyla contra o México deu voz ao técnico. A ponteira entrou bem e mudou o andar do jogo, àquela altura, complicado para a seleção. Em um campeonato tão longo, a força do grupo, para o treinador, vai determinar o rumo do time.

A competição terá um dia de folga nesta terça. As seleções voltam à quadra apenas na quarta-feira. Em busca da classificação para a terceira fase, o Brasil encara a Holanda, à 1h25 (horário de Brasília), com transmissão do SporTV 2. A equipe de José Roberto Guimarães soma 16 pontos no grupo E – apenas as três melhores avançam.

- O Zé sempre falou, as meninas mais velhas sempre falaram: precisamos de todas, por ser um campeonato logo, um campeonato difícil. A cada dia que passa, vamos procurar melhorar. Sempre assistimos aos nossos vídeos, isso tem ajudado muito. Espero que, no próximo jogo, nós tenhamos o mesmo espírito. Precisamos entender que o erro também faz parte do jogo. Vai ser um jogo difícil, mas vamos manter a velocidade, conscientes da nossa responsabilidade – disse Drussyla.

A necessidade de contar com todo o grupo também se explica nos problemas enfrentados pelo técnico. Muitas das jogadoras ainda buscam seu melhor ritmo. Contra o México, Fernanda Garay não entrou em quadra por ter sentido uma contratura nas costas após a derrota para a Alemanha. Thaisa vinha sendo poupada até entrar para marcar o último ponto contra as mexicanas.

- Todas sentimos dor. Eu estava ali pronta para quando ele precisasse me colocar. Como pção, ele achou que não precisava forçar uma situação, estávamos indo bem. Mas eu estou bem, falei para ele. Se precisar, estou aqui. Mas, hoje, sabemos que eu não estou no mesmo patamar das meninas. Então, precisamos levar em consideração. Estou evoluindo, melhorando, mas precisamos levar em consideração. Ter paciência e saber que no momento certo eu vou entrar e ajudar. Estou com a cabeça tranquila. Ele está vendo meu esforço, as meninas estão vendo meu esforço. Então, vai fluir. No momento certo, vou entrar – afirmou a central.

A vitória levou o Brasil aos 16 pontos, provisoriamente em terceiro lugar do grupo E - mais tarde, o Japão encara Porto Rico e pode retomar a posição. A Sérvia, que venceu a Alemanha mais cedo, lidera tranquila, com 21 pontos. As três melhores equipes de cada chave avançam à terceira fase da competição. O caminho, apesar de complicado, é possível, segundo Zé Roberto.

- A partida contra o México foi um bom jogo no sentido de ritmo, de ser forçado a jogar. Nós tivemos de jogar, de correr atrás do resultado o tempo inteiro. As coisas foram se ajustando. O time já se ajustou um pouco mais, se soltou um pouco mais. É o que vamos precisar. Porque ainda dependemos das nossas próprias forças. Sabemos que vai ser difícil, mas precisamos nos preparar.

 
Seleção festeja ponto contra mexicanas — Foto: Divulgação/FIVB

Seleção festeja ponto contra mexicanas — Foto: Divulgação/FIVB


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo