icon facebook icon twitter icon instagram

19 de Março de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

Quinta-feira, 14 de Março de 2019, 09h:53 - A | A

'Conversa fiada', diz ex-diretor da Santa Casa de Cuiabá sobre dívida de R$ 24 milhões com a prefeitura

image

Durante uma oitiva realizada na Câmara de Cuiabá, nesta quarta-feira (13), o ex-diretor da Santa Casa, Antônio Preza, disse que a dívida de mais de R$ 24 milhões apontada pela prefeitura é uma mentira.

"Conversa fiada! Todos os pontos levantados na nota que a prefeitura enviou à imprensa, falando da dívida de R$ 24 milhões e da recomendação da Delegacia Fazendária são mentiras", afirmou.

De acordo com a prefeitura, dívida é referente ao pagamento adiantado de serviços que não foram prestados como cirurgias eletivas e exames.

Antônio Preza foi convidado a depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga os hospitais filantrópicos. Na ocasião, foi questionado sobre a gestão dos recursos públicos que são enviados à Santa Casa, da qual foi diretor por seis anos.

Na segunda-feira (11), a atual direção do hospital  anunciou a suspensão de internações e outros serviços, por falta de repasse no valor R$ 3,6 milhões da Prefeitura de Cuiabá.

Em contrapartida, a prefeitura alegou que o repasse foi suspenso por recomendação da Procuradoria Geral do Município, após uma diligência realizada pela Delegacia Fazendária, que identificou irregularidades na aplicação dos recursos públicos enviados à Santa Casa.

Ainda segundo a prefeitura, adiantamentos de repasses já haviam sido feitos e os serviços acordados não foram prestados.

Sobre a prestação dos serviços, Preza diz que o cumprimento não está atrelado aos repasses. Ainda assim, afirma que a Santa Casa tem prestado os serviços estabelecidos.

"Na norma do Ministério da Saúde para verbas de custeio está especificado apenas a manutenção dos contratos e nós estamos mantendo os serviços", destacou.

Preza disse ainda que a Santa Casa acumula uma dívida de mais de R$ 75 milhões. Entretanto, negou que seja um problema de gestão. Alegou que o déficit é ocasionado pelos serviços prestados por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Imprimir
Comentários












Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




image