Policia

20/04/2017 09:35

GCCO prende quatro assaltantes que roubaram R$ 500 mil do BB do Distrito Industrial

A Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), sob o comando do delegado Diogo Santana, cumpre desde as 06h desta quinta-feira (20) quatro mandados de prisão contra ladrões de banco que residem em Cuiabá. Segundo informações da Polícia Civil, foram presos nesta manhã Everton Pereira Oliveira, 33 anos, conhecido como "Lebre", Jorge Marcelo Souza Nazário, vulgo "Nazo" e Antonio Fernandes dos Santos. O acusado Josemar Gomes Amado, o "Formiga" está foragido. Esses  homens participaram do assalto na agência do Banco do Brasil do Distrito Industrial, no dia 1º de abril de 2016. Na oportunidade eles levaram R$ 500 mil.  Também foram alvos da quadrilha os bancos Bradesco, da Avenida Carmindo de Campos, em 2015 e a agência do Sicredi, da Barão de Melgaço, em janeiro deste ano.

Os policiais da GCCO já prenderam três pessoas da quadrilha que comandou o assalto. As primeiras detenções ocorreram no bairro CPA II, em agosto de 2016, após os investigadores descobrirem que o crime foi mentalizado por  Jorge Marcelo Souza Nazário, 35 anos. Através deles prenderam também Jairo Garcia Boa Sorte, ex-vigilante do banco, e o ex-policial militar, Uesdra de Souza.

De acordo com as investigações do GCCO, um dia antes do roubo, 31 de março, a quadrilha tentou sequestrar a tesoureira da agência, monitorando sua casa. No entanto, ela não foi encontrada. Durante a vigilância, os bandidos tiraram fotos do marido da bancária deixando o filho na escola e depois da mãe lavando a calçada. Eles usaram as fotografias para intimidar a tesoureira. 

 

As primeiras pistas do caso foram levantadas pelo delegado Flávio Stringueta, que atualmente está na Delegacia do Planalto. Stringueta lembrou, na época das investigações, que no dia do roubo, antes da abertura da agência para o público, três bandidos entraram na banco depois de receberem o controle reserva da porta giratória do banco, repassado pelo vigilante Jairo Garcia.

 

Um dos assaltantes usava roupa semelhante à farda da Polícia Militar e com ajuda do vigilante facilitou a entrada dos bandidos. Outro membro da quadrilha vestia roupa social e portava um crachá de identificação, para se passar por funcionário do banco.

 

Do lado de fora permaneceu Uesdra e também Jorge Marcelo Souza, no apoio logístico a fuga dos comparsas. “No dia ele (Jorge) estava nas proximidades do banco em um veículo”, disse o delegado.

 

Conforme o delegado, Uesdra em determinado momento aparece nas câmeras de segurança do banco, na área do autoatendimento da agência, simulando usar os caixas eletrônicos. As imagens também mostram outro suspeito, armado, indo direto à sala do cofre do banco e lá obriga a funcionária a abrir o equipamento, retirar o malote e sair. O falso policial militar é visto nas imagens ao lado do vigilante.

 

O vigilante, Jairo Garcia Boa Sorte, quando preso, confessou que iria receber R$ 15 mil da quadrilha, dinheiro este que não lhe foi repassado, segundo o interrogatório.

 

Os três membros da quadrilha estão indiciados por roubo majorado. Outros membros estão identificados. O inquérito policial é presidido pelo delegado Diogo Santana que requereu o bloquei das contas dos criminosos a fim de recuperar os valores roubados das agências.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo