Política

08/11/2017 16:42 Diário Da Serra

Servidores rejeitam proposta do Executivo e decidem manter greve

A greve dos Servidores Públicos de Tangará da Serra teve na noite de ontem, mais um capítulo. Nem mesmo a chuva torrencial que se abateu sobre a cidade foi capaz de desmotivar os servidores de participarem da Assembleia Extraordinária de Urgência, convocada para deliberar sobre o movimento grevista.


A reunião foi convocada visando repassar aos servidores os desfechos e propostas que ocorreram entre  os líderes da greve e o Executivo Municipal, mas apesar de avanços, os servidores optaram por permanecer em greve, não aceitando portanto, que o Executivo retire alguns direitos já adquiridos pelos trabalhadores. O que resultou após longa conversa, na manutenção da paralisação que completou uma semana na última segunda-feira.


Em número bastante expressivo, com a participação inclusive, de pessoas que nunca participaram de nenhuma das reuniões anteriores, os servidores foram quase que unânimes na manutenção do movimento, que a partir de agora, conta com um novo comando de greve, já definido durante a assembleia.


Entre os avanços das negociações, o prefeito, Fábio Martins Junqueira aceitou mexer apenas em dois dos pontos elencados para mudanças. Um deles, seria de dar aos servidores um abono de R$ 400 a ser pago no mês de dezembro pelos meses das negociações sobre a Reposição Geral anual (RGA). O outro seria o cálculo da insalubridade, que passaria a ser realizado então, sobre o valor do salário base e não mais nivelado por um salário específico. No mais, todos os outros pontos seguiriam iguais. Durante a assembleia, os servidores deixaram bastante claro que abrir mão dos direitos é um ponto fora de cogitação.


O impasse continua, tendo como ponto nevrálgico, a insistência do Executivo em retirar direitos adquiridos há anos pelos servidores, como por exemplo, a hora extra que hoje é paga 100%  e passaria para 50% em sábados, domingos e feriados.


Para o presidente do Sserp, Eduardo Pereira, a maioria escolheu e o movimento segue em frente. “ Para deixar bem claro, os servidores públicos de Tangará estão em greve e hoje foi convocada uma assembleia de urgência para colocar em deliberação uma proposta que o prefeito enviou para uma comissão formada com o sindicato. E hoje isso aconteceu aqui. A gente trouxe para os servidores, colocamos em votação mas os servidores não aceitaram a proposta do prefeito. Vamos continuar tentando manter o diálogo com o prefeito em busca da solução”, assegurou Eduardo.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo