Política

Janaina Riva 05/12/2017 08:42 Regina Botelho

“ 2018 será um ano de colher os frutos do que foi plantado”

Centro-Oeste Popular- A senhora disse recentemente que não é hora do PMDB ter candidato ao governo. Qual deverá ser então o posicionamento do partido em 2018?

Janaina Riva- Acredito que o PMDB tenha que ter principalmente desprendimento. Analisar uma candidatura que seja benéfica para toda população do Estado de Mato Grosso. Isso, não quer dizer que o partido não venha ter um candidato, mas que uma imposição de uma candidatura majoritária é totalmente desnecessária. O partido está em plena reconstituição, novos grupos, novas pessoas se aproximando. Então acho que o PMDB tem que ter um nome de consenso que agrade a todos, independente de ser filiado ao partido.

CO Popular- A senhora acharia razoável o PMDB apoiar uma possível candidatura de Mauro Mendes?

Janaina Riva- Essa é uma avaliação muito ampla que precisa estar consultando as bases, uma vez que Mauro Mendes foi adversário do PMDB em vários pleitos eleitorais. Tem que fazer um entendimento com a base, não acho que é impossível, isso precisa ser discutido com o partido, não só o nome do Mauro mais também como outros candidatos que já foram oposição ao PMDB.

CO Popular- Ao ser ver, há chances da reedição da aliança PMDB e PT em Mato Grosso?

Janaina Riva- A aliança do PMDB e PT principalmente nas proporcionais é uma aliança histórica. Isso voltou a acontecer com o Partido dos Trabalhadores assumindo a bancada assumindo suas vagas na Assembleia Legislativa. Hoje PT e PMDB fazem parte do bloco de oposição. Acredito que essa aliança possa até ser possível sim. Mas vejo muita até dificuldade e impossibilidade do PMDB apoiar o nome do PT para a presidência do País. Se não existir, esse conflito, a imposição do PT, não vejo o porque do PMDB e o PT não andarem juntos.

CO Popular- Na opinião da senhora, a Assembleia obedeceu todos os ritos para aprovação da PEC do Teto de Gastos, ou o caso pode ainda ser judicializado?

Janaina Riva- Sim- A Assembleia deu amplo espaço de tempo para debate. Tanto é que nas últimas votações, os servidores já não estavam se quer acompanhando porque já tínhamos conversado categoria por categoria. Acho que foi prazo suficiente para que pudéssemos estabelecer uma ligação com os sindicatos e poder de certa forma preservar um pouco mais os servidores da PEC.

CO Popular- O governador Pedro Taques está próximo de entrar em seu último ano de mandato. Na opinião da senhora, ele conseguirá garantir investimentos e pagamentos dos funcionários em dia, no último ano de gestão?

Janaina Riva- Muito difícil ele conseguir fazer isso. Ele teve praticamente três anos para fazer isso e não conseguir fazer. Não vejo, em um prazo de um ano, reorganizar e organizar em três. Mas faço votos que ele consiga fazer isso.

CO Popular- Há solução para o caos vivido pela saúde em MT?

Janaina Riva - Sim. A solução é tratar a saúde de forma prioritária. É obvio que você nunca vai conseguir absorver a demanda por completo. Mas atender as urgências, emergências da alta complexidade , isso o Estado não pode deixar de fazer, e é o que vem acontecendo. Creio que isso tenha que ser uma prioridade e deve iniciar uma política de valorização a atenção básica. Porque isso de certa forma vai evitar que passamos por colapsos como estamos passando hoje com a saúde, pela falta de cuidados na fonte do problema.

CO Popular- Deputada à senhora tem duas PEC´s que tratam desse assunto. Se elas entram em vigor, se fosse aprovadas, ajudaria?

Janaina Riva- Sim e muito. Porque hoje o Estado , por exemplo com previsão da Lei de Diretrizes Orçamentárias(LOA),ele investiu 13%. A PEC estipula 15% com um valor mínimo. Esse valor de 15% teria uma representatividade de aproximadamente R$ 500 milhões a mais na saúde . Como eu disse, não acredito que resolva na sua complexidade total, mais sem duvida nenhuma ameniza um pouco a situação. As questões das emendas parlamentares acho que é uma forma dos deputados auxiliarem o estado na demanda da saúde.

CO Popular- Qual a avaliação dos trabalhos realizados pela AL em 2017?

Janaina Riva- A Assembleia Legislativa teve vários debates importantes. Consegui de certa forma flexibilizar o relacionamento do Governo, não só com o funcionalismo público, mas com vários outros setores. Aprovamos leis de estimulo a economia do Estado, algumas isenções, todas por setores, não somente para determinadas empresas, que é uma coisa que eu sempre condenei. A Assembleia de certa forma foi um elo de ligação, de debate entre o Executivo e a população mato-grossense.

CO Popular- Quais os seus planos para 2018?

Janaina Riva-Ano de colher os frutos daquilo que foi plantado. Acho que não é um ano de fazer política e tenho falado isso. Muito mais que fazer política é colher os frutos da política que você realizou. Estou muito tranquila para 2018, me preparando para enfrentar o pleito eleitoral e preocupada com a questão das emendas parlamentares. Porque é um muito frustrante para um parlamentar passar pela AL destinar as emendas, conforme as necessidades das suas regiões, da região que acredita em você e elas não serem realizadas. Quero me empenhar no pagamento das emendas e quero também me dedicar à campanha eleitoral, com a tranquilidade daquilo que eu podia fazer durante meu mandado foi feito.

CO Popular- A seu ver, quais os desafios que a Assembleia ainda tem que vencer?

Janaina Riva- A Assembleia Legislativa tem enfrentar o debate da reforma da máquina publica. A reforma tributária. Isso tudo, sem sombra de dúvidas vai ser muito importante a participação de cada deputado, pois não existe possibilidade de você alterar a tributação de Mato Grosso sem que alguém se considere que esteja perdendo, que seja ou Estado ou os próprios empreendedores, os próprios cidadãos mato-grossenses. Acho que esse é o maior desafio implantar uma política administrativa, que no caso é a reforma da máquina pública, que acredito que a Assembleia venha discutir. No meu entendimento o Governo precisa enxugar, principalmente naquilo que não é essencial. São questões que irão ocasionar grandes discussões na casa. Não sei se isso ocorrerá antes do processo eleitoral, mas são de necessidades urgentes.

CO Popular - Qual a análise que a senhora das sobre o momento político em MT?

Janaina Riva- Mato Grosso vem sofrendo consequências de decisões tomadas lá atrás, de forma muito irresponsável. Houveram várias decisões que não se deram conta que o Estado, não cresceria da mesma forma que as despesas estão crescendo. A lei de eficiência pública já avisava que o Estado iria ter dificuldades. Então o Estado cresceu, a máquina pública de forma desenfreada e hoje sofre consequências. Junto com isso, o governador do Estado, Pedro Taques vendeu um governo que ele não pode entregar para a população e se esquiva quando se trata de falar daquilo que prometeu e não cumpre. A soma da falta de gestão, com a falta de credibilidade, dentro de Mato Grosso está causando um enorme caos político, onde as pessoas passaram a desacreditar.

CO Popular- A PEC do Teto vai afetar os municípios do estado?

Janaina Riva- Sim. Os municípios que não aderirem vão sofrer as consequências que do Estado ter aderido. Principalmente, com relação ao funcionalismo público. Quando você fala da PEC do Teto, você não faz um cálculo do que isso pode impactar na vida do sociedade mato-grossense. Creio que o reflexo vai atingir os municípios e alguns podem adotar a mesma medida no âmbito da administração municipal e que com certeza isso ocasionaria um impacto maior.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo