Política

13/04/2018 09:43 OLHAR DIRETO

Taques apoia CPI da Assembleia e garante que ninguém “embolsou” dinheiro de Fethab e Fundeb

As investigações deflagradas pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Fethab e Fundeb, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, é interpretada de forma institucional pelo chefe do Poder Executivo. O governador Pedro Taques assegurou que não houve qualquer desvio de recursos e que respeita do trabalho dos deputados estaduais. 
 
Pedro Taques sustenta a tese de que houve atrasos, mas não roubo do erário, na transferência de recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), para as prefeituras de Mato Grosso.
 
“Não houve absolutamente nada de ilícito ou irregular. Há pessoas pensam que o dinheiro saiu do Estado e foi para o bolso de alguém. Nada disso o correu!”, argumentou Taques, em resposta a pergunta de ouvinte do Programa Chamada Geral, da Rádio Mega FM de Cuiabá, nesta semana.
 
O chefe do Poder Executivo lembrou que o próprio presidente da Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM), ex-prefeito Neurilan Fraga (PSD), denunciou que o governo de Mato Grosso não repassou “na data”, mas não citou desvios. “O que o presidente da AMM denunciou que o governo não repassou para os municípios na data. E a Assembleia Legislativa [com a instalação da CPI], de forma legítima, está investigado isso”, citou ele.
 
Pedro Taques entende que o seu governo deve, sim, ser investigado. “Não tenho medo do meu passado. Por isso eu não temo o meu futuro. Tem que ser investigado! Não tenho nenhuma dificuldade a respeito disso. Não houve desvio de dinheiro para o bolso de quem quer que seja”,  justificou ele.
 
Mudança na CPI
 
Pedro Taques conquistou um importante aliado, na composição da CPI do Fethab e Fundeb: o deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB), atual primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, assumiu na última terça-feira (10) a vice-presidência da Comissão Parlamentar de Inquérito. A indicação de Maluf para vice-presidente partiu dos demais membros da CPI, por conta da saída do deputado Professor Adriano Silva (DEM), que deixou o Poder Legislativo após retorno do deputado Max Russi (PSB).
 
“Agradeço aos colegas pela confiança e indicação do meu nome e reforço o compromisso de continuar trabalhando para dar as respostas necessárias à sociedade”, declarou o deputado tucano. Além de Maluf, também compõem a CPI os deputados estaduais Mauro Savi (DEM), presidente; Nininho Ondanir Bortolini (PSD), relator; e Allan Kardec (PDT), sub-relator.
 
Os dados referentes à aplicação dos recursos do Fethab deverão ser apresentados pelo secretário-adjunto Francisco Serafim de Barros, do Tesouro do Estado, no dia 17 de abril. Na mesma data também deverão prestar esclarecimentos à CPI a chefe do núcleo setorial de Finanças do Tesouro, Cleide Regina da Costa; o secretário Marcelo Duarte Monteiro, de Estado de Infraestrutura; e o presidente da Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, autor da denúncia que resultou na CPI do Fethab e Fundeb.
(Colaborou Carlos Gustavo Dorileo)


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo