Política

14/05/2018 13:31 G1

Obras de paisagismo iniciam em canteiros de avenida em Cuiabá por onde deveria passar o VLT

Quase quatro anos depois da paralisação das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e da retirada de árvores que tinham na região central para abrir espaço ao novo modal de transporte, iniciaram neste sábado (12) as obras de revitalização nos canteiros da Avenida Prainha, no Centro de Cuiabá.

As obras do VLT estão paradas, mas, se forem retomadas, as palmeiras que serão plantadas deverão ser retiradas.

Conforme a Prefeitura de Cuiabá, mais de 400 palmeiras imperiais devem ser plantadas nesses espaços, com o objetivo de amenizar a situação das vias devido à obras paralisadas para implantação do VLT ao longo de toda a extensão da Avenida Tenente Coronel Duarte, a Prainha.

Para esse trabalho, a prefeitura informou ter assinado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com uma rede de supermercados para revitalizar o canteiro central de um dos eixos fundamentais na circulação de pessoas na capital.

A revitalização consiste em obras de paisagismo e jardinagem com o plantio de algumas palmeiras e espécies nativas que suportem o calor da região. O custo é de aproximadamente R$ 170 mil.

Já começou a aterrar o concreto e preparar o solo para receber a terra e posteriormente a grama.

De acordo com a prefeitura, para não atrapalhar o trânsito no local, as equipes de trabalho atuarão durante a noite com a utilização de maquinários, e durante o dia o trabalho braçal, cuja mão de obra é da própria administração direta.

A previsão para a conclusão dos trabalhos é de 90 dias, podendo ser prorrogada.

 
Projeto mostra como o VLT funcionara na Avenida Prainha, em Cuiabá (Foto: Divulgação/Secopa)

Projeto mostra como o VLT funcionara na Avenida Prainha, em Cuiabá (Foto: Divulgação/Secopa)

Obras do VLT

Inicialmente orçada em R$ 1,47 bilhão, a obra, que hoje se encontra com futuro incerto e deve consumir pelo menos mais R$ 602 milhões para ser concluída, se arrastou pelos últimos quatro anos sem completar ao menos 50% do previsto nos projetos apresentados pelo governo do estado e pelo consórcio construtor. Até o momento, o VLT já consumiu mais de R$ 1 bilhão dos cofres públicos e a obra se encontra suspensa desde dezembro de 2014.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo