Política MT

09/10/2018 15:19 Gazeta Digital

Selma rechaça fake news, mas faz campanha contra >esquerda radical> do PT

Juíza aposentada e eleita ao Senado pelo PSL, Selma Arruda destacou nesta terça-feira (9) que o mais difícil em sua campanha foi lutar contra o que chamou de “comitê da maldade”, combatendo notícias falsas. Mesmo com histórico recente, a magistrada aposentada, que edifica palanque ao presidenciável Jair Bolsonaro, propaga a informação de que o Partido dos Trabalhadores (PT) compõe quadro de extrema esquerda na política brasileira.  

“[O mais difícil] foram os comitês da maldade, as denúncias de caixa 2 improcedentes, as fake news, os vídeos que até no último momento foram veiculados para desconstruir a minha imagem. Mas graças da Deus o eleitor demostrou, acho que no Brasil inteiro, que não quer mais esse tipo de política”, afirmou a servidora pública aposentada.     

Selma foi a concorrente ao Senado com mais votos em Mato Grosso, cerca de 678 mil. O posicionamento quanto ao chamado “comitê da maldade” foi exposto durante entrevista no Jornal do Meio Dia, da TV Vila Real.   

A senadora eleita aproveitou o espaço para fazer campanha a Jair Bolsonaro no segundo turno disputado contra Fernando Haddad (PT).   

“Eu estou conversando com os eleitos, com as pessoas, muita gente se porta agora como um soldado, com uma pessoa que participa ativamente da eleição, as pessoas não estão nas suas casas, esperando a coisa acontecer”, afirmou Selma.   

No atual cenário de disputa, o Partido dos Trabalhados, grupo político de centro-esquerda fundado na década de 80, é categorizado por Selma como de extrema esquerda.   

“Agora é a hora de buscar aquele voto que não votou no Bolsonaro no primeiro turno, mas que também não voto num partido de esquerda radical como é o Haddad”, salientou a membro do PSL.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo