Saúde

06/03/2018 09:44 OLHAR DIRETO

Nutróloga explica como emagrecer sem cortar os carboidratos da alimentação

Agora que o ano começou, grande maioria da população volta a se preocupar com a saúde, a estética corporal e reiniciam os períodos de dietas e mais dietas. 


Mas e agora, não tem ideia de como recomeçar? O que cortar da sua alimentação? Será realmente necessário fazer cortes?
Você já deve ter ouvido falar em diversos tipos de dieta, mas qual delas realmente consegue ser duradoura? Será que a dieta que seu amigo servirá também para você? Essas são dúvidas frequentes e que realmente não tem uma só resposta. 


Toda dieta ou programa alimentar, seja com objetivos de manutenção da sua saúde, emagrecimento, ganho de massa magra ou relacionado à alguma doença, deve ser totalmente individualizado. Devemos levar em consideração rotina diária, treinos, genética, doenças associadas, tolerância aos alimentos. Então, não é tão simples assim. 


A principal estratégia adotada pela grande maioria da população é SEMPRE cortar os carboidratos, seja ele qual for, afinal, o objetivo é perder peso, certo? Errado! Toda dieta deveria ser composta de carboidrato, proteína, lipídeos e fibras, para ser equilibrada e balanceada. 
Para perder peso, não NECESSARIAMENTE devemos cortar o carboidrato, basta trocarmos por opções mais saudáveis como os carboidratos complexo (integrais).  Sem os carboidratos, seu corpo usará energia, muitas vezes provenientes da quebra dos músculos para eliminar alguns quilos , ou seja, reduzir calorias sem saber ao certo o que você está retirando de seu cardápio, pode resultar em perda de grande parte de sua musculatura. 


Fazem parte dos carboidratos complexos: arroz, macarrão e pães integrais, batata doce, mandioca, inhame, frutas, verduras, legumes, sementes, os quais são digeridos lentamente por serem ricos em fibras. Retardam o esvaziamento gástrico, proporcionando mais saciedade, evoluindo com um aumento lento e gradual da glicose na corrente sanguínea, reduzindo os PICOS DE INSULINA após as refeições. Em outras palavras, limitamos a quantidade de açúcares provenientes dos carboidratos, a se tornarem gordura. 


Após ingerirmos proteínas ou carboidratos, o pâncreas produz e libera a insulina, que entra na corrente sanguínea. A rapidez que esse processo acontece configura os PICOS DE INSULINA. Se este processo acontecer logo após o seu treino, ocorre uma reação bioquímica para o músculos aumentarem a síntese de proteínas, construindo mais fibras musculares. Caso esse processo aconteça sem nenhuma relação com treinos, o excesso desse carboidrato, reabastecerá os estoques de gordura em seus adipócitos (as indesejáveis células de gordura). Como a absorção desse carboidrato simples é muita rápida, você ainda pode passar mal minutos após a ingestão do alimento, pois ocorrerá uma hipoglicemia reativa, causando sonolência excessiva, dores de cabeça, tontura e lentificação do pensamento, raciocínio e para piorar mais ainda, sentirá fome muito mais rápido.


Regular o seu apetite é essencial para o sucesso de sua dieta, caso contrário, será quase impossível resistir a alimentos como pizzas, doces, sanduíches. Após controlado o seu apetite, a estratégia mais inteligente é utilizar toda a energia proveniente da sua alimentação para se exercitar. As mudanças físicas e mentais vêm com o tempo, após uma rotina de exercícios diários, deixando de fora, o terrível e indesejável efeito sanfona.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo