Saúde

11/05/2018 15:57 Governo De Mato Grosso

Governo entrega oito novas ambulâncias; frota não era renovada desde 2004

A entrega de oito ambulâncias para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi considerada momento histórico para a Saúde de Mato Grosso, como destacou a secretária adjunta de Regulação, Ceila Maria Zaghi Maia. Em seu discurso durante a solenidade de entrega dos veículos no Palácio Paiaguás, nesta sexta-feira (11.05), ela afirma que “nenhuma outra gestão adquiriu com recursos próprios ambulâncias para o SAMU desde dezembro de 2004”, afirmou.

O governador Pedro Taques e o secretário de Estado de Saúde, Luiz Soares, participaram da solenidade que contou com as presenças de secretários estaduais e dos secretários municipais de Saúde de Cuiabá, Huark Douglas Corrêa, e de Várzea Grande, Diógenes Marcondes, parlamentares e de servidores da saúde estadual, inclusive dos profissionais que trabalham no SAMU.

Das oito ambulâncias equipadas, cinco foram compradas com recursos do governo do Estado, no valor total de R$ 881 mil, e as outras três com recursos do Ministério da Saúde, no total de R$ 510 mil. A partir de hoje, três ambulâncias já começam a circular, as outras cinco, que chegaram domingo, dia 6, estão em processo de licenciamento junto ao DETRAN MT.

De acordo com a superintendente do SAMU, Bruna Karoline de Almeida Santiago, as ambulâncias representam uma renovação de 100% da frota de Cuiabá e Várzea Grande e passam a compor uma frota de 17 ambulâncias que atendem a dez bases do SAMU, sendo cinco bases na capital; três bases em Várzea Grande, uma base em Poconé e uma base em Chapada dos Guimarães. Das 17 ambulâncias, dez vão circular diariamente e sete servirão de reserva. Das oito novas ambulâncias, cinco são básicas que funcionam com um condutor e um técnico de enfermagem e três são avançadas funcionando com um médico, um enfermeiro e um técnico de enfermagem.

Bruna Santiago também informou que quatorze ambulâncias dos anos de 2006 a 2010 deixarão de circular e farão parte do processo de desfazimento junto ao Ministério da Saúde e Secretaria Estadual de Saúde, para dar início a futuros processos de novas aquisições. “O processo de desfazimento é importante para que possamos demonstrar para o Ministério da Saúde a real necessidade de aumento ou de renovação da frota do SAMU, para não termos de esperar mais quatorze anos para adquirir novos veículos”, explicou.

O governador Pedro Taques disse que o Governo está atento à situação da saúde pública e que confia na equipe e no trabalho dos servidores da pasta; demonstrou agradecimento por todo o esforço e comprometimento para com a manutenção da saúde pública, superando crise financeira e reconstruindo a estrutura estatal de gestão dos serviços do SUS que foi desmantelada ao longo da última década.

“Estamos melhorando a saúde e eu tenho esta convicção. Um exemplo é esse ato de hoje. A última vez que teve ambulância nova foi em 2004. Quantos vidas esses veículos irão salvar?”, indagou.

Taques também destacou que, mesmo com as dificuldades financeiras, o Estado vem conseguindo fazer os repasses deste ano em dia e que os atrasados estão sendo quitados. Para o governador, o projeto emergencial de estabilização fiscal apresentado na Assembleia, que representará um aporte de R$ 180 milhões para a saúde, vai dar um novo fôlego para o setor.

O governador aproveitou para elogiar o trabalho realizado na saúde sob a gestão do secretário Luiz Soares. “Confio nesta equipe, no trabalho de vocês. Quero cumprimentá-los por trabalharem em situação adversa. Quero agradecê-los pelo trabalho que vêm fazendo pelo Estado de Mato Grosso”.

Luiz Soares destacou que a equipe colegiada, que dirige o SUS em Mato Grosso, é composta de pessoas que sabem o que fazer e como fazer. “As pessoas que integram a equipe dirigente da SES vêm lutando nesse tempo todo para colocar esse enorme trem de ferro [a saúde] nos trilhos novamente. São pessoas absolutamente comprometidas com o SUS há muitos anos”.

Atendimentos do SAMU

No ano de 2017, 77.552 pessoas foram socorridas pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), sendo que 55% foram levadas para os prontos-socorros de Cuiabá e Várzea Grande. Outras pessoas deslocadas para as UPAs de Cuiabá e Várzea Grande, para policlínicas e para unidades hospitalares particulares. O índice de salvamento de vidas foi de 96% em 2017.

“O SAMU realiza o atendimento de urgência e emergência em qualquer lugar: residências, locais de trabalho e vias públicas. O atendimento é realizado depois de chamada gratuita para o telefone 192. A ligação é atendida por atendentes na Central de Regulação que identificam a emergência e, imediatamente, transferem o telefonema para o médico regulador. Esse profissional faz o diagnóstico da situação e inicia o atendimento no mesmo instante, orientando o paciente ou a pessoa que fez a chamada sobre as primeiras ações”, explicou a superintendente.

O médico regulador é quem avalia qual o melhor procedimento para o paciente: orienta a pessoa a procurar um posto de saúde; designa uma ambulância de suporte básico de vida, composta por profissionais de enfermagem e socorrista para o atendimento no local; ou, de acordo com a gravidade do caso, envia uma ambulância de suporte avançado de vida, composta por profissionais: médico, enfermeiro e socorrista.

“É um serviço de caráter universal, para todos, independente de quem seja a pessoa que pede o socorro ao Samu; a equipe de profissionais capacitados presta socorro para todos os níveis sociais. A nossa missão de salvar vidas não faz distinção, portanto, qualquer pessoa que precisar do Samu será atendida”, destacou a superintendente.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo